Espanhol tem sofrido com uma lesão, mas segue vivo na briga pelo seu tricampeonato em Londres

O número um do mundo, Rafael Nadal, não teve muitas dificuldades para vencer o norte-americano Mardy Fish, nesta quarta-feira, mesmo com uma lesão no pé, e se classificar para as semifinais do torneio de Wimbledon, em Londres. No entanto, o espanhol lamentou a derrota de um rival de longa data, o suíço Roger Federer, que caiu diante do francês Jo-Wilfried Tsonga, após uma virada incrível, por 3 sets a 2.

"Sinto por ele, jogou bem em Roland Garros e aqui. Hoje, era uma partida contra um cara difícil. Só vi os dois primeiros sets, mas, quando você pega o Tsonga, que tem um saque sensacional, será sempre pressionado", explicou Nadal, que também comentou sobre seu próximo adversário, Andy Murray, o qual eliminou tanto na edição do ano passado na Inglaterra, quanto no último encontro dos dois, no Grand Slam de Paris deste ano, no saibro.

"Todo ano é diferente. Ano passado foi difícil, no segundo set ele teve um set point. Será difícil, ele está jogando muito bem nos últimos meses ele foi ótimo, vamos ver o que acontece. Vou dar o meu melhor, para mim, estar na semi é incrível. Tenho que ser agressivo para chegar à decisão", acrescentou.

Sobre suas dores no pé, sentidas na partida contra o argentino Juan Martin Del Potro, o líder do ranking de entradas da ATP esbravejou quando perguntado se tratavam-se de besteira. "Tomei analgésico antes do jogo, lógico que não é besteira! Fui ao hospital, fiz exames e não tinha nada grave. Mas está difícil, só não sinto dores agora por causa do remédio. No jogo (contra Del Potro), senti algo parecido com a lesão de 2004, por isso me assustei", concluiu o tenista, referindo-se à contusão que o tirou de quadra durante quatro meses, na época.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.