Atleta não defenderá Brasil na Copa Davis devido a compromisso com o Kansas City Explorers no World Team Tennis

Em busca de uma vaga no playoff do Grupo Mundial da Copa Davis, o Brasil visita o Uruguai entre os dias 8 e 10 de julho. No mesmo período, Ricardo Mello defende o Kansas City Explorers no WTT (World Team Tennis), um bem remunerado circuito de exibições norte-americano. Fora do torneio por países, o número 2 nacional falou em coincidência de datas e negou que tenha pedido ao capitão João Zwetsch para não ser convocado.

"Eventos como o WTT nos Estados Unidos e os Interclubes na Europa já existem há muitos anos. Muitos jogadores participam, até mesmo aqueles com ranking entre os 20 primeiros do mundo. A minha participação no WTT deste ano na mesma época do confronto entre Brasil e Uruguai foi pura coincidência", disse o atleta através de sua assessoria de imprensa.

Ricardo Mello é um dos tenistas que contam com patrocínio dos Correios em um programa criado pela CBT (Confederação Brasileira de Tênis). O contrato firmado entre as partes estabelece que os jogadores são obrigados a participarem dos compromissos pela Copa Davis caso sejam convocados. Questionado sobre o assunto, o atleta negou um acordo com Zwetsch para não chamá-lo.

"Quero deixar claro que não pedi para não ser convocado. O que está acontecendo este ano, também aconteceu no ano passado. Não participei da primeira fase entre Brasil e Uruguai, que foi disputada em Bauru [Marcos Daniel jogou com Thomaz Bellucci no saibro], e só joguei a repescagem contra a Índia, na quadra rápida", afirmou o jogador.

Por outro lado, Mello não esconde que conversou com Zwetsch antes da divulgação da equipe, algo que o capitão costuma fazer com os possíveis convocados. "Nós conversamos, sabemos que as condições de jogo no Uruguai não favorecem a minha maneira de jogar e chegamos a conclusão de que a melhor opção seria convocar jogadores que vinham dando mais prioridade ao piso lento", explicou.

Atual 90º colocado no ranking da ATP, Ricardo Mello é o segundo melhor representante do Brasil na lista. Aos 30 anos, ele conta com o título de Delray Beach-2004 e foi o 50º do mundo julho de 2005. Entre 2005 e 2010, soma oito vitórias e cinco derrotas na Copa Davis. Para enfrentar o Uruguai, Zwetsch chamou, além de Thomaz Bellucci e Bruno Soares, Rogério Dutra da Silva e João Souza, dois novatos no torneio por nações.

Conhecido como Feijão, João Souza, 23 anos, é o atual 129º do mundo e tem como recorde o 101º posto de outubro de 2010. Já Rogério Dutra da Silva, 27 anos, ocupa a 134ª colocação da lista da ATP, seu melhor resultado na carreira. Ainda em busca de entrar pela primeira vez no top 100, ambos nunca defenderam o Brasil na Copa Davis.

Mais experimentado que a dupla, Ricardo Mello descarta qualquer tipo de receio em caso de resultado negativo da equipe capitaneada por João Zwetsch diante do Uruguai. "Não tenho receio de ser criticado. Vou estar de longe torcendo muito para os meus companheiros e acredito muito na vitória do Brasil", declarou o tenista.

"Com a experiência que tem e o nível em que joga atualmente, o Ricardo sempre é um tenista que tem chance de integrar a nossa equipe", disse o capitão Zwetsch. Em seguida, ele fez questão de dizer que os jogos em Montevidéu serão lentos, característica que não agrada Mello. "A definição do grupo é feita em função das condições que vamos encontrar no Uruguai".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.