Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

Melhor tenista do ano, Djokovic ainda não se vê número 1

Sérvio foi campeão do Masters 1000 de Miami ao derrotar Rafael Nadal na decisão e segue invicto na temporada

Gazeta Esportiva |

Com o troféu de campeão do Masters 1000 de Miami, Novak Djokovic coroou sua temporada perfeita até então. O sérvio, que conquistou seu quarto título em 2011, se distanciou de Roger Federer no ranking, mas ainda vê Nadal longe. Número 2 do mundo, Djokovic disse que ainda não é hora de pensar na liderança do ranking.

"Sei que tive o melhor começo de temporada, não há dúvida sobre isso. São os melhores quatro meses da minha vida", disse Djokovic que, além de Miami, conquistou o Aberto da Austrália, o ATP 500 de Dubai e o Masters 1000 de Indian Wells. "Mas é só o começo. Acho que é um pouco cedo para falar em liderança do ranking. Ainda há muita diferença. Rafa é definitivamente o melhor jogador do mundo agora".

Apesar dos elogios de Djokovic, Nadal foi vencido pelo sérvio nas duas últimas partidas entre eles, nas finais de Indian Wells e Miami. Com o fim da temporada em quadra dura e a ida para o saibro, o sérvio acredita que Nadal poderá conquistar seu primeiro troféu em 2011.

"Eu quero ter a chance de ser número 1, mas preciso jogar com consistência por todo o ano. Todos nós sabemos quanto o saibro é o piso favorito de Nadal. Mas essas vitórias me dão muita confiança para as próximas semanas", afirmou o número dois do mundo, que está invicto há 24 partidas em 2011.

Sobre a final contra Nadal, em Miami, Djokovic ficou em quadra três horas e 21 minutos, em um jogo de tênis de alto nível. "Foi um dos jogos mais acirrados e uma das melhores finais que já joguei. É muito bom ganhar de um grande campeão como o Nadal, ainda mais com ele jogando o seu melhor".

"Foi um nível de tênis muito alto. Acho que todos gostaram, até nós, jogadores. Foi apertado e até o último golpe nós não sabíamos como ia terminar", declarou Djokovic, que admitiu o cansaço ao final do embate. "Ficou claro que nós estávamos diminuindo o ritmo no final. No tie-break, virou um jogo de ninguém".

Leia tudo sobre: djokovicmasters 1000miaminadalrankingatp

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG