Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

Fisiologistas já 'liberam' Djokovic e Nadal após final épica

Se não se lesionaram, tenistas ficam livres para atuar após 72h de recuperação, de acordo com especialistas

Rodrigo Farah, iG São Paulo |

Passada a disputa da final mais longa de um Grand Slam na história, Novak Djokovic e Rafael Nadal já podem entrar em quadra novamente se não estiverem lesionados. Pelo menos, esta é a análise de alguns dos melhores fisiologistas do esporte brasileiro, que explicaram em entrevista ao iG os efeitos da recuperação dos atletas após uma partida que teve quase 6h de duração.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Veja também: Após batalha, Djokovic acorda cedo e Nadal volta para casa

Preparador do Flamengo e diretor da BEone (Núcleo de Desenvolvimento da Performance Humana), Cláudio Pavanelli ressaltou que os atletas conseguem recuperar todo o estoque de energia em até 72 horas após o confronto do último fim de semana. Ou seja, eles já estariam prontos para entrar em quadra novamente nesta terça de manhã se não sofreram nenhuma lesão.

Confira as melhores fotos da final entre Djokovic e Nadal no Aberto da Austrália

“Seriam números ‘mágicos’, mas eles demorariam até 72 horas para repor o estoque de glicogênio e energia do corpo. É claro que eles sofreram uma série de microlesões nos músculos. É a chamada dor do dia seguinte, mas são atletas do mais alto nível e estão acostumados a realizar uma boa recuperação”, afirmou Pavanelli.

Novak Djokovic e Rafael Nadal protagonizaram um longo confronto que só acabou após a 1h da manhã na Austrália (meio-dia no horário de Brasília). O tenista sérvio venceu o espanhol por 3 sets a 2 (parciais de 5-7, 6-4, 6-2, 6-7 [5-7] e 7-5) em 5h53min de partida.

De acordo com o fisiologista do Esporte Clube Pinheiros Turíbio Leite de Barros, os dois não teriam condições de suportar nem mesmo um só torneio que tivesse apenas jogos de 6 horas. Apesar disso, ambos estão preparados para enfrentar esporadicamente “maratonas” como a da Austrália.

AP
Nadal e Djokovic chegaram ao limite na final do Aberto da Austrália, no domingo
“Os músculos dos dois chegaram ao limite. O primeiro passo é restaurar energia e leva 72 horas para o corpo reaver o estoque. Só é preciso avaliar a dor gerada pelo processo inflamatório. Mas mesmo assim, eles lidam com o que há de mais moderno em recuperação humana e isso facilita”, ressaltou o ex-fisiologista do São Paulo Futebol Clube.

Mas a "recuperação de ponta" citada pelos fisiologistas não tem grandes segredos. Ela é feita com repouso, dieta rica em carboidratos, gelo e eventuais massagens. "A diferença é que eles fazem isso da maneira exata que o corpo deles precisa, pois fizeram estudo detalhado dos metabolismos", completou Turíbio. 

Leia ainda: Djokovic segue no topo da ATP, mas diferença para Nadal diminui
“Superei tudo e isso foi a coisa mais importante para mim. Ficou óbvio para todo mundo que nós dois, fisicamente, gastamos a última gota de energia que tínhamos nos nossos corpos para o jogo continuar”, ressaltou Djokovic após o triunfo.

“Foi a partida mais difícil fisicamente que já joguei. Estou cansado. Disputamos uma grande partida e foi um grande espetáculo”, completou Rafael Nadal concordando com o oponente.

Agora, Novak Djokovic, que após a conquista na Austrália afirmou que a prioridade da temporada eram os torneios de Grand Slam e os Jogos Olímpicos de Londres, terá algumas semanas de descanso e volta a jogar no ATP 500 de Dubai, a partir de 27 de fevereiro. "Eu terei algumas semanas de folga e tentarei aproveitar essa vitória [na Austrália] o quanto eu puder", disse o campeão.

Já Rafael Nadal pode prolongar seu descanso. Ele já havia dito que não jogaria a Copa Davis neste ano (torneio começa no dia 10 de fevereiro) e está inscrito para o Masters 1000 de Indian Wells, no começo de março.

Campeões na Austrália posam com seus troféus. Veja as fotos:

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG