Tamanho do texto

Tenista suíço enfrente o japonês Kei Nishikori, que venceu Djokovic, na final

Federer durante sua vitória na semifinal do Torneio da Basileia
AP
Federer durante sua vitória na semifinal do Torneio da Basileia
Roger Federer fez a lição de casa neste sábado e se credenciou para mais uma final do Torneio da Basileia, diante de seus conterrâneos. Em duelo de suíços na semifinal, o grande favorito derrotou Stanislas Wawrinka por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/5) e 6/2.

Federer acumulou sua 42ª vitória no torneio e avançou à final na Basileia pela oitava vez em sua carreira. Em busca do seu quinto título, o tenista local escapou de mais um confronto com o sérvio Novak Djokovic, eliminado de forma surpreendente neste sábado pelo japonês Kei Nishikori, na outra semifinal. Com dores no ombro direito, o número 1 do mundo chegou a levar um "pneu" no terceiro set.

Veja também: Análises e opinião no blog do Paulo Cleto

A lesão impediu que Djokovic e Federer reeditassem a épica semifinal do US Open, vencida pelo sérvio no início de setembro. Na decisão deste domingo, na Basileia, Federer e Nishikori, atual número 32 do ranking, farão um confronto inédito no circuito profissional.

Contra um adversário menos experiente, que disputa pela primeira vez um final de um torneio ATP 500, Federer terá a chance de encerrar um jejum de 10 meses sem título. Nesta temporada, o suíço só venceu em Doha, na primeira semana do ano. No domingo, o ex-líder do ranking buscará seu 68º título do ano.

Na semifinal contra Wawrinka, neste sábado, Federer só teve trabalho no set inicial. Em um duelo equilibrado, os dois tenistas faturaram uma quebra de saque cada e decidiram a parcial no tie-break, com ligeira vantagem do recordista de títulos de Grand Slam.

Embalado, Federer foi superior no início do segundo set e abriu vantagem no placar. Sem ter o saque ameaçado, ele faturou duas quebras e encaminhou a vitória com tranquilidade, após 1h27min de partida.