Sérvio derrotou Nadal no último domingo em Madri, chegou a 32 vitórias seguidas e tem chance de tomar liderança do ranking do rival

selo

O ano perfeito de Novak Djokovic é um sinal de uma possível mudança no topo do tênis, e Roger Federer não ignora a situação. O sérvio passou o suíço em março para assumir a vice-liderança do ranking mundial. Agora, pode até roubar o primeiro lugar do espanhol do Rafael Nadal no Masters 1000 de Roma nesta semana.

Djokovic derrotou Nadal na final do Masters 1000 de Madri no domingo para permanecer invicto em 2011 após 32 jogos. "Definitivamente é um momento interessante, já que Novak não perdeu em toda a temporada. É uma situação nova e diferente, ainda que não mude muito para mim", disse Federer.

Se Djokovic faturar o seu sétimo título do ano em Roma e Nadal não chegar às semifinais, o sérvio vai se tornar o primeiro jogador desde fevereiro de 2004 a quebrar o domínio do espanhol e de Federer na liderança do ranking da ATP.

"Agora, eles (Djokovic e Nadal) estão jogando melhor do que eu e os outros", disse o suíço. "Acho que agora todo mundo pode jogar em todas as superfícies, o que torna extremamente difícil de vencer em todos esses grandes torneios".

Ainda assim, Federer não perde a esperança, sobretudo depois de ganhar um set de Nadal nas semifinais em Madri. "É bom para o tênis que estejam jogando tão bem. Mas, obviamente, todo mundo está esperando por sua chance, e eu sou um desses", falou. "Eu estive perto contra o Rafa, e eu só tenho que ir um passo além, e espero fazer esta semana".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.