Martina Navratilova liderava uma expedição de escalada beneficente e pretendia arrecadar US$ 133 mil

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882470721&_c_=MiGComponente_C

A ex-tenista tcheca naturalizada americana Martina Navratilova, que liderava uma expedição de escalada beneficente ao Monte Kilimanjaro, na Tanzânia, teve que abandonar o grupo nesta sexta-feira, quarto dia de atividades, após sofrer um edema pulmonar devido à altitude.

Getty Images
Ex-tenista Navratilova estava no quarto dia de expedições ao monte Kilimanjaro

A ex-jogadora foi ajudada pelos carregadores para descer até o Centro Médico Cristiano do Kilimanjaro, onde se mostrou decepcionada por ter de deixar a montanha, segundo a Fundação Laureus, para a qual Navratilova pretendia arrecadar US$ 133 mil.

Após dar entrada no hospital, o médico David Silverstein, especialista em cardiologia, garantiu que a recuperação da atleta seria rápida. "Martina se encontra bem, e continuará se recuperando".

Navratilova liderava um grupo de 27 pessoas cujo objetivo é arrecadar fundos para a Fundação. Está previsto que o restante dos integrantes da expedição alcance o cume neste sábado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.