Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

Djokovic: "Nadal é o melhor do mundo neste momento"

Invicto após 24 partidas nesta temporada, sérvio afirmou que sonha em chegar ao lugar ocupado pelo espanhol no ranking mundial

EFE |

O sérvio Novak Djokovic, número 2 do ranking da ATP, reconheceu que Rafael Nadal "é o melhor do mundo neste momento" e revelou que desde os seis anos sonha em chegar a ocupar o lugar do espanhol. "Tive o melhor começo de temporada possível, os quatro melhores meses da minha vida. Mas é o começo da temporada. É um pouco breve para falar de rankings. Rafa é, definitivamente, o melhor jogador do mundo neste momento", declarou o sérvio ao suplemento dominical XL Semanal.

Djokovic sabe que se quer chegar ao número um tem que estar à altura todo o ano. "Tenho que jogar muito bem, de forma consistente e constante, durante todo o ano. Rafa e Roger (Federer) são jogadores extremamente difíceis do ponto de vista mental. Não dão um ponto de presente e sobem seu nível de jogo no final da partida".

"No final, este jogo é todo mental. Certamente, você deve estar bem fisicamente, mas pesa mais o mental. Contra jogadores como Rafa, você tem que acreditar, acreditar de verdade, que pode ganhar dele. Isso é tudo. O segredo é a confiança que você tem em si mesmo e aproveitar cada oportunidade. Todas".

Invicto em 24 partidos este ano, Djokovic lembra a guerra do Kosovo. Até esse momento, Novak, o mais velho dos três filhos de Srdjan e Djiana Djokovic, tinha tido uma vida confortável. Passava os verões e grande parte dos invernos no povoado turístico de Kopaonik, onde seus pais eram proprietários de um restaurante e monitores de esqui. Foi ali onde, com quatro anos, pegou pela primeira vez em uma raquete. O tênis me entusiasmou desde o primeiro momento e o praticava de forma obsessiva. Estava escrito que seria tenista. E não quero parecer arrogante, mas desde os seis anos pensei que podia chegar a ser o número um. Agora, que conste, se não conseguir, vou ser feliz do mesmo jeito".

Djokovic saiu da Sérvia muito em breve. Com 14 anos já estava na escola de Nikola Pilic em Munique. Ganhou vários torneios juvenis e a associação de tênis inglesa tentou inclusive convencê-lo de que se nacionalizasse britânico e jogasse com eles. Sua última vitória teve sabor de glória, pois foi contra Nadal na final de Miami.

"É uma das melhores finais que joguei em minha vida. Ganhar de um campeão tão forte física e mentalmente como Nadal é uma conquista incrível para mim. Estou orgulhoso do que fiz", afirma. "A maioria dos meus fãs são jovens, e não acho que eles gostem de ler coisas como que tive alguns revezes. Este tipo de coisa não interessa a ninguém. É mais interessante saber como são os jogadores quando não estão na quadra. Não conto tudo, mas gosto de falar aos poucos, para que as pessoas se divirtam ao lê-lo", finaliza.

Leia tudo sobre: djokovicnadalatp

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG