Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

Copa Davis começa nesta sexta valorizada por elite do tênis

Rafael Nadal e Andy Roddick voltam a disputar torneio de nações. Novak Djokovic, porém, desfalca Sérvia

Pedro Taveira, iG São Paulo |

Valorizada pela elite do tênis mundial. É desta forma que começa nesta sexta-feira a 100ª edição da Copa Davis. Embalados pelo sucesso de Novak Djokovic, que conduziu a Sérvia a sua primeira conquista no ano passado, “monstros” do esporte deixaram suas carreiras individuais de lado por um instante para se dedicar a suas nações. É o caso de Rafael Nadal, número 1 do ranking da ATP, que volta a defender a Espanha no torneio. 

Em 2010, Nadal pediu dispensa e não atuou no confronto de quartas de final contra a França. Sem ele, os espanhóis foram massacrados: 5 a 0. Agora o time vai com força máxima e o melhor tenista do mundo na atualidade terá David Ferrer, sexto na ATP, e Fernando Verdasco, nono, ao seu lado no duelo fora de casa contra a Bélgica. 

“Estou muito motivado para disputar um duelo contra um grande rival como a Bélgica em uma competição tão importante”, disse nesta semana Nadal, que se recupera de ruptura muscular na coxa esquerda sofrida no Aberto da Austrália, em janeiro. “Se estou aqui, é porque estou fisicamente 100%”. 

Reuters
Rafael Nadal entrará em quadra pela Espanha

Robin Soderling, que ocupa a quarta posição no ranking mundial, será o destaque das partidas ente Suécia e Rússia. Na República Tcheca, o sétimo colocado Tomas Berdych empurra seu país contra o Cazaquistão. Já o norte-americano Andy Roddick inicia fora de casa a campanha em busca do 33º de sua nação. O oitavo melhor tenista da atualidade é a principal aposta contra o Chile. 

“Ganhar o título da Davis é uma de minhas principais prioridades”, afirmou Roddick, que não defendeu os Estados Unidos em 2010, ao confirmar sua partipação em neste ano. “É um torneio no qual os tenistas devem se comprometer por toda a temporada, e não apenas quando lhes convém”. 

Vice-campeã da última edição da Davis, a França de Michael Llodra e Gilles Simon é considerada favorita diante da Áustria, que joga em casa. Mas os franceses não tem um jogador tão bem rankeados quanto os anfitriões. Jurgen Melzer é o décimo colocado na lista da ATP. 

Sem nenhum atleta ‘top 10’, a Argentina não deixa de ter um time respeitável. Em casa contra a Romênia, os sul-americanos terão à disposição David Nalbandian, 19º do mundo, Juan Monaco, 33º, e Juan Ignácio Chela, 31º. Também sem um tenista dentro do grupo de elite, a Croácia de Marin Cilic, 20º, recebe a Alemanha. 

Ausências
Se serviu de exemplo por sua garra e patriotismo na Copa Davis de 2010, Novak Djokovic não fará o mesmo nesta temporada. Líder sérvio no ano passado, o terceiro melhor tenista do mundo alegou cansaço e não irá enfrentar a Índia. Com 12 vitórias e os títulos do Aberto da Austrália e do ATP 500 de Dubai, “Nole” ainda está invicto em 2011. 

“Me sinto bem física e mentalmente, preparado e motivado para ir bem em Indian Wells e Miami, algo que não fiz bem nos últimos anos. Quero trabalhar duro para ter bons resultados nos EUA”, falou Djokovic logo após a conquista nos Emirados Árabes Unidos. Sua ausência foi confirmada na quarta-feira. 

Já Roger Federer, vice-líder da ATP, e a Suíça esperam o fim da primeira rodada para entrar em ação na competição. O país está no Grupo I da Europa/África (espécie de segunda divisão) e aguarda o vencedor do duelo entre Portugal e Eslováquia para a segunda fase. Andy Murray, número 5 do mundo, por sua vez, não irá defender sua Grã-Bretanha contra a Tunísia no Grupo II (terceira divisão). 

Leia tudo sobre: Rafael NadaCopa Davis

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG