Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

Conheça os oito jogadores das Finais da ATP 2010

Veja um breve perfil de cada um dos classificados e o retrospecto de confronto direto entre eles

iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860489208&_c_=MiGComponente_C

Grupo A:

[1] Rafael Nadal (Espanha)
24 anos, 43 títulos (7 em 2010), 468 vitórias e 100 derrotas
Principais conquistas: Masters 1000 de Monte Carlo (2005, 2006, 2007, 2008, 2009 e 2010), Masters 1000 de Roma (2005, 2006, 2007, 2009 e 2010), Aberto de Roland Garros (2005, 2006, 2007, 2008 e 2010), Masters 1000 de Toronto (2005 e 2008), Masters 1000 de Madrid (2005 e 2010), Masters 1000 de Indian Wells (2007 e 2009), Aberto de Wimbledon (2008 e 2010), Aberto da Austrália (2009), Aberto dos EUA (2010)

Garantido nas Finais da ATP desde junho, Rafael Nadal chega a Londres para ganhar seu primeiro troféu na competição e coroar uma temporada quase perfeita. Foram três conquistas de Grand Slams em 2010, o que o tornou primeiro desde Rod Laver, em 1969, a vencer três destes torneios seguidos. Com o triunfo nos Estados Unidos, passou a ser o sétimo tenista na história a ter os quatro principais títulos do tênis mundial.

Seu maior desafio na Inglaterra será a falta de ritmo. Sem atuar desde outubro, quando caiu na segunda rodada do Masters 1000 de Xangai, na China, Nadal vem tratando de dores no ombro esquerdo. O retrospecto para as Finais da ATP, no entanto, é animador: venceu mais do que perdeu contra todos seus adversários na primeira fase.

 
[3] Novak Djokovic (Sérvia)
23 anos, 18 titulos (2 em 2010), 320 vitórias e 103 derrotas
Principais conquistas: Masters 1000 de Miami (2007), Masters 1000 de Toronto (2007), Aberto da Austrália (2008), Masters 1000 de Indian Wells (2008), Masters 1000 de Roma (2008), Finais da ATP (2008) e Masters 1000 de Paris (2009)

Campeão das Finais da ATP em 2008, Novak Djokovic não teve o melhor ano da carreira em 2010. Ele não conquistou Masters 1000 ou Grand Slams. Mas foi nesta temporada, porém, que o sérvio atingiu sua melhor posição no ranking mundial e conseguiu brigar diretamente pela vice-liderança da lista da ATP.

Nas últimas semanas, Djokovic ficou para trás na luta contra Roger Federer e se estabilizou na terceira posição. Nas Finais pelo quarto ano seguido, além do bicampeonato, o atleta de 23 anos busca o primeiro grande título da temporada e manter-se como terceiro melhor tenista da atualidade.
 

[6] Tomas Berdych (República Tcheca)
25 anos, 5 títulos (0 em 2010), 261 vitórias e 166 derrotas
Principal conquista: Masters 1000 de Paris (2005)

Sem nenhum título em 2010, Tomes Berdych apostou em sua regularidade para conseguir um lugar entre os oito melhores do mundo. Em 2010, o tcheco, vice-campeão no Masters 1000 de Miami e no Aberto de Wimbledon, atingiu a sexta posição do ranking da ATP, sua melhor na carreira.

Participando pela primeira vez das finais da ATP, o retrospecto aponta que Berdych deverá ser apenas um coadjuvante em Londres. Ele possui mais derrotas do que vitórias contra seus três adversários na primeira fase. Cerca de 800 pontos atrás do quinto colocado do ranking, sua missão é manter o sexto lugar.
 

[8] Andy Roddick (Estados Unidos)
28 anos, 29 títulos (2 em 2010), 555 vitórias e 178 derrotas
Principais conquistas: Masters 1000 de Cincinnati (2003 e 2006), Masters 1000 de Toronto (2003), Aberto dos EUA (2003) e Masters 1000 de Miami (2004 e 2010)

Aos 28 anos, Andy Roddick chega para sua oitava disputa de Finais da ATP, mas ainda sem ter conquistado o título. Carregando o peso de ex-número 1 do mundo, o americano garantiu sua vaga em Londres apenas duas semanas antes da competição.

Atualmente na oitava posição, Roddick tem o pior ranking entre os participantes, mas se apoia no bom retrospecto diante de Tomas Berdych e Novak Djokovic e pode surpreender nas quadras inglesas. Se ficar com o troféu, pode subir para o quinto lugar.


Confrontos diretos:

Nadal 15 x 7 Djokovic
O espanhol levou a melhor nas cinco decisões em que enfrentou o sérvio, mas Djokovic venceu o duelo entre ambos nas Finais da ATP de 2009

Berdych 2 x 6 Roddick
Além do retrospecto favorável, o americano ganhou na única final disputada contra o rival, no Masters 1000 de Miami em 2010. Berdych não vence desde 2008

Nadal 8 x 3 Berdych
Espanhol triunfou nas duas decisões contra o adversário (ATP 250 de Bastad, em 2005, e Aberto de Wimbledon, em 2010). Berdych não ganha do rival desde 2006

Djokovic 2 x 5 Roddick
Embora esteja à frente no ranking, sérvio leva dificuldade perante americano (não vence desde 2008). No único jogo de 2010, em Cincinnati, deu Roddick

Nadal 5 x 3 Roddick
Apesar da vantagem para o número 1 do mundo, o americano venceu o único confronto entre os dois na atual temporadda (semifinais em Miami)

Djokovic 3 x 1 Berdych
Sérvio venceu última partida, pela Copa Davis, mas viu rival triunfar nas semifinais de Wimbledon em 2010.


Grupo B:

[2] Roger Federer (Suíça)
29 anos, 65 títulos (4 em 2010), 738 vitórias e 174 derrotas
Principais conquistas: Aberto de Wimbledon (2003, 2004, 2005, 2006, 2007 e 2009), Finais da ATP (2003, 2004, 2006 e 2007), Aberto da Austrália (2004, 2006, 2007 e 2010), Masters 1000 de Indian Wells (2004, 2005 e 2006), Masters 1000 de Toronto (2004 e 2006), Aberto dos Estados Unidos (2004, 2005, 2006, 2007 e 2008), Masters 1000 de Miami (2005 e 2006), Masters 1000 de Cincinnati (2005, 2007, 2009 e 2010) e Masters 1000 de Madrid (2006 e 2009)

Quarto jogador com o maior número de títulos (65) na Era Aberta do tênis e com 286 semanas na liderança do ranking mundial, Roger Federer já tem seu nome gravado na história do esporte. Em Londres, luta pelo pentacampeonato para se igualar a Ivan Lendl e Pete Sampras como os maiores vencedores das Finais da ATP.

Sem chances de alcançar o topo da lista e sem ter seu segundo lugar ameaçado, Federer se classificou pela nona vez consecutiva para o torneio inglês, um recorde entre os atletas atuais. Mais velho entre os participantes, o suíço tenta provar que ainda pode brigar de igual para igual com Rafael Nadal.


[4] Robin Soderling (Suécia)
26 anos, 6 títulos (2 em 2010), 271 vitórias e 159 derrotas
Principal conquista: Masters 1000 de Paris (2010)

Se não pode ser considerado um dos favoritos em Londres, Robin Soderling é o que chega mais embalado à competição. Na última semana, o sueco conquistou o Masters 1000 de Paris, o mais importante troféu de sua carreira, e saltou para o quarto lugar no ranking mundial.

Será sua segunda participação nas Finais da ATP. Em 2009, Soderling surpreendeu ao derrotar Nadal e Djokovic na primeira fase. Para este ano, se depender do retrospecto contra Andy Murray e David Ferrer e da atual forma do sueco, chegar à semifinal e brigar pela terceira posição da ATP são objetivos realistas.


[5] Andy Murray (Escócia)
23 anos, 16 títulos (2 em 2010), 265 vitórias e 92 derrotas
Principais conquistas: Masters 1000 de Madrid (2008), Masters 1000 de Cincinnati (2008), Masters 1000 de Miami (2009), Masters 1000 de Toronto (2009 e 2010) e Masters 1000 de Xangai (2010)

Tenista consistente, o britânico Andy Murray chega à terceira vez seguida nas Finais da ATP. Para isso, bastaram dois títulos de Masters 1000, quando chegou a derrotar Roger Federer, e um vice-campeonato no Aberto da Austrália. A boa fase, no entanto, terminou com a queda precoce no Masters de Paris, no início de novembro, e seu desempenho para Londres é uma incógnita.

Terceiro atleta a assegurar seu lugar na competição inglesa, Murray caiu para a quinta posição no ranking da ATP na última semana. Por outro lado, tem como grande trunfo o retrospecto favorável diante de Federer e deve brigar com Soderling pela segunda vaga do Grupo B nas semifinais, etapa que alcançou em 2008. No ano seguinte, venceu dois jogos, mas caiu na primeira fase devido à diferença de games.


[7] David Ferrer (Espanha)
28 anos, 9 títulos (2 em 2010), 353 vitórias e 209 derrotas
Principais conquistas: ATP 500 de Tóquio (2007), ATP 500 de Valencia (2008 e 2010), ATP 500 de Acapulco (2010)

Em sua segunda participação nas Finais da ATP, David Ferrer é o grande azarão desta edição. Após começar a temporada na 17ª posição do ranking, conquistou dois ATP 500 e foi vice-campeão no Masters 1000 de Roma e do ATP 500 de Pequim. O desempenho regular o levou de volta ao grupo dos oito melhores tenistas do mundo após três anos.

O espanhol é candidato a ser eliminado já na primeira fase, mas o retrospecto favorável diante de Andy Murray pode alimentar a esperança do jogador. Em 2010, Ferrer tenta repetir o surpreendente desempenho de 2007, quando desbancou Novak Djokovic, Rafael Nadal, Richard Gasquet e Andy Roddick e alcançou a decisão.


Confrontos diretos:

Federer 14 x 1 Soderling
Suíço esmaga o sueco no retrospecto e venceu a única decisão entre ambos (Roland Garros 2009), mas Soderling conseguiu sua primeira vitória neste ano

Murray 1 x 3 Ferrer
O duelo contra Murray é a maior esperança de Ferrer. O britânico não vence desde 2006. Nesta temporada, o espanhol triunfou nos dois duelos

Federer 5 x 8 Murray
Além da vantagem no histórico geral, Murray também venceu mais em 2010. Federer, por sua vez, ganhou os duelos em torneios mais importantes como Aberto da Austrália de 2010 e Finais da ATP de 2009

Soderling 8 x 4 Ferrer
As partidas costumam ser equilibradas. Em 2010, o placar está 3 a 2 para Soderling, mas a última vitória foi de Ferrer

Federer 10 x 0 Ferrer
Se a tendência for mantida, será um confronto desigual. Mas nos últimos quatro jogos o suíço precisou de três sets para desbancar o rival

Soderling 2 x 2 Murray
Será o único tira-teima real da primeira fase das Finais da ATP, tendo em vista o empate entre ambos. Soderling venceu o único duelo de 2010 (quartas de final de Indian Wells)

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG