Tamanho do texto

Suíço caiu para a quarta colocação ao longo do ano, mas se recuperou nos último meses e encerra temporada em boa fase

AP
Roger Federer começou a temporada muito mal, mas se recuperou no segundo semestre
O ótimo fim de temporada de Roger Federer será um tempero a mais para a temporada 2012. Após o grande ano de Novak Djokovic, o sérvio terá muitos pontos para defender no primeiro posto do ranking mundial, o que poderá significar uma ascensão do número 2, o espanhol Rafael Nadal, e do próprio suíço. atual terceiro colocado.

Sobre a possibilidade de voltar a ser o melhor do mundo, Federer quer dar um passo de casa vez, mas não deixa de sonhar. "Sei que há um longo caminho pela frente, mas, quem sabe? Um dia talvez eu chegue lá. Veremos. Prefiro ignorar isso agora porque sei que Novak colocou isso muito longe de mim com seu ano incrível", disse em entrevista ao jornal New York Times .

Com uma boa posição na classificação no início da temporada, Federer não teve grandes apresentações durante o ano e foi caindo na tabela. No segundo semestre, foi superado pelo britânico Andy Murray e ficou como número 4 em outubro, mas conseguiu retomar sua posição com os títulos recentes, como o do ATP Finals, em Londres, que fecha o calendário.

"De repente você joga bem, ganha 17 jogos seguidos e volta a sentir que está de volta na conversa se ganhar um Slam. Isso é interessante e me anima", falou o atleta.

Federer está a 5.505 pontos de Djokovic. Nadal, por sua vez, tem 1.405 pontos a mais do que o terceiro colocado. Caso fique mais uma semana como número um do mundo, o suíço irá igualar o recorde de Pete Sampras: 286 semanas no topo.