Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

ATP Finals recoloca Federer à frente de Nadal e perto de recorde

Torneio que reúne apenas os oito melhores de 2010 começa neste domingo em Londres. Se ficar com o título, Federer iguala recorde de Sampras e Lendl

iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237859340704&_c_=MiGComponente_C

Roger Federer e Rafael Nadal têm retrospectos distintos quando o assunto é o ATP Finals, último torneio da temporada da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais) e que reúne apenas os oito melhores tenistas do ano.

Os dois são os principais favoritos ao título da competição. Mas enquanto o espanhol Nadal, atual número 1 do mundo, nunca chegou à final do torneio, o suíço Federer faturou quatro títulos - 2003, 2004, 2006 e 2007. Se vencer em 2010, Federer iguala as lendas Pete Sampras e Ivan Lendl, recordistas com cinco conquistas.

Guardo com muito carinho o primeiro título", disse Federer nesta sexta durante entrevista coletiva em Londres, que entre 21 e 28 de novembro recebe a edição deste ano. "Eu lembro que Agassi e Ferrero eram os favoritos do grupo, sempre foram ótimos de fundo de quadra, mas consegui surpreender em Houston, completou o atual número 2 do mundo.

Em 2009, Nadal foi eliminado com três derrotas. Para mim o importante é que tive uma grande temporada em 2010. Não sou de revanches para nada, só penso em jogar bem desta vez e quem sabe melhorar meu retrospecto. Oxalá consiga jogar neste ano meu melhor tênis, disse o espanhol, campeão nesta temporada em Roland Garros, Wimbledon e Aberto dos Estados Unidos.

Getty Images
Nadal e Federer são os principais favoritos ao título em Londres

Os oito tenistas classificados para o ATP Finals estão divididos em dois grupos. Cada um jogo três vezes, sempre contra adversários de seus grupos. Os dois melhores de cada chave avançam às semifinais. 

O torneio, que será realizado pela segunda vez consecutiva em Londres, já passou por outras 14 cidades e 9 países desde sua primeira edição, em 1970, em Tóquio. Na capital inglesa, os jogos serão realizados na Arena O2, em Greenwich, sudeste da cidade, mesmo local onde serão disputadas as finais do basquete e a ginástica artística nas Olimpíadas de 2012. O único tenista da casa será o britânico Andy Murray. 

"Este torneio é diferente, pois todos os tenistas chegam no auge de sua confiança. Claro que para mim é sempre especial estar aqui e me sinto confiante para fazer meu melhor, disse o escocês.

No quesito confiança, o sueco Robin Soderling leva vantagem. Foi campeão do Masters 1000 de Paris no último domingo. Adversário de Murray logo na estréia, domingo, Soderling mostrou bom humor até para questionar a evidente maioria de torcedores a favor do seu primeiro adversário.

Você acha? Certeza? (risos). Eu sei o que vou encontrar. Joguei aqui no ano passado, curti bastante e quero aproveitar o momento novamente este ano. Vai ser um jogo duro, falou o atual número 4 do mundo.

Getty Images
Murray tem um grande trunfo: jogar diante da sua torcida 

Ausência de sul-americanos
Para o Brasil, o ATP Finals traz ótimas recordações. Gustavo Kuerten venceu a edição de 2000, em Lisboa, após superar Pete Sampras e Andre Agassi na semifinal e final, respectivamente. Após a conquista, Guga chegou pela primeira vez ao topo do ranking, onde permaneceu por 43 semanas. Além do brasileiro, os argentinos David Nalbandian, em 2005, e Guillermo Vilas, em 1974, também já conquistaram o título. Desde 2002 o ATP Finals não era disputado sem a presença de pelo menos um tenista da América do Sul.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG