Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

ATP Finals encerra temporada de domínio inédito dos tenistas "top 4"

Todos os principais troféus do ano ficaram com os quatro melhores do ranking. Torneio que reúne os oito melhores de 2011 começa neste domingo em Londres

Felipe Rocha, especial para o iG, em Londres |

Felipe Rocha
Entrada da O2 Arena, em Londres, onde será realizada a edição 2011 do ATP Finals
Os quatro melhores tenistas do mundo chegam à reta final da temporada com um domínio jamais visto. Pela primeira vez na história, todos os principais troféus do ano (quatro Grand Slams e nove Masters 1000) ficaram nas mãos de Novak Djokovic, Rafael Nadal, Andy Murray e Roger Federer. Neste cenário de hegemonia absoluta dos ‘top 4’, terá início neste domingo, em Londres, o ATP Finals, o último torneio da temporada, que reúne os oito melhores tenistas do ranking.

Como se não bastasse, quando pelo menos um dos quatro participou de qualquer torneio em 2011, apenas uma vez o título não ficou entre eles. Em fevereiro, o escocês Andy Murray esteve em Roterdã, mas foi o sueco Robin Soderling (curiosamente, número 4 do mundo à época, e agora na 13ª posição) quem ficou com a taça. Nos demais 21 torneios disputados no ano que contaram com a participação de pelo menos um dos quatro tenistas mais bem ranqueados, o troféu sempre terminou nas mãos de Djokovic, Nadal, Murray ou Federer.

Portanto, não seria nenhum exagero tratar os outros participantes do ATP Finals, David Ferrer, Jo-Wilfred Tsonga, Tomas Berdych e Mardy Fish, como verdadeiros azarões na capital inglesa.

“A cada dia é um desafio novo tentar superar esses caras (top 4), são jogadores vencedores. Estou muito feliz de ter conquistado meu lugar entre os oito melhores e espero surpreender os favoritos ”, disse o americano Mardy Fish, número 8 do mundo.

JOGADOR GRAND SLAM MASTERS 1000
Novak Djokovic 3 (Austrália, Wimbledon e Estados Unidos) 5 (Indian Wells, Key Biscayne, Madri, Roma e Montreal)
Rafael Nadal 1 (Roland Garros) 1 (Monte Carlo)
Andy Murray 0 2 (Cincinnati e Xangai)
Roger Federer 0 1 (Paris)


Pela terceira vez consecutiva, o ATP Finals será disputado na Arena O2, em Greenwich, na região sudeste de Londres. O atual campeão é o suíço Roger Federer, que chega como um dos principais favoritos após ter conquistado os torneios da Basileia e de Paris, nas últimas semanas.

Aos 30 anos, Roger Federer passou os dez primeiros meses de 2011 com apenas um título ganho. Situação pra lá de anormal na carreira do tenista que detém o recorde de 16 títulos em Grand Slams. Mas, após abrir mão de disputar os torneios asiáticos e optar por ficar seis semanas descansando, Federer reencontrou sua melhor forma física. Quando voltou às quadras, foram dez vitórias em dez jogos, com dois títulos conquistados, em um período de treze dias.

Além do bom momento, Federer tem ao seu lado o excelente retrospecto em ATP Finals. O atual número 4 do mundo já conquistou cinco vezes a competição, sendo o maior vencedor ao lado de Pete Sampras e Ivan Lendl. Dos demais participantes em 2011, apenas o sérvio Novak Djokovic já foi campeão da competição (em 2009).

“Chego em boa forma física e extremamente motivado. Quando se defende um título, a pressão sempre é grande. A diferença é que (no ATP Finals) enfrentarei apenas tenistas ‘top 10’, o que torna o torneio mais difícil e especial”, afirmou Federer.

Não resta dúvida, porém, que a temporada tem um dono no circuito: Novak Djokovic. O sérvio está na liderança do ranking da ATP, com 13.475 pontos, mais que o dobro de Roger Federer, o quarto colocado. A interrogação fica por conta da questão física do número 1 do mundo. Com dores no ombro, Djokovic não disputou o Masters de Paris e chega ao ATP Finals precisando provar que está em condições físicas de ser o mesmo jogador que venceu 10 títulos no ano.

O espanhol Rafael Nadal, vice-campeão em 2010, e o escocês Andy Murray completam a lista de principais candidatos ao título em Londres.

“Não existe motivação maior do que disputar um torneio com os melhores tenistas do mundo. Quadra lotada, um clima especial, são jogos assim que me fazem treinar duro todos os dias”, resumiu Nadal.

Divididos em dois grupos de quatro tenistas, os atletas farão três jogos na primeira fase, com os dois melhores de cada grupo avançando às semifinais. A decisão está marcada para o próximo dia 27. A competição oferece cerca de R$ 6,2 mi em premiação. Caso algum tenista seja campeão invicto, levará para casa aproximadamente R$ 2,8 mi.

JOGOS DE DOMINGO:
Roger Federer x Jo-Wilfried Tsonga, às 12h (de Brasília)
Rafael Nadal x Mardy Fish, às 18h (de Brasília)

JOGOS DE SEGUNDA-FEIRA:
Andy Murray x David Ferrer, às 12h (de Brasília)
Novak Djokovic x Tomas Berdych, às 18h (de Brasília)

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG