Publicidade
Publicidade - Super banner
Tênis
enhanced by Google
 

Alvo de piadas, português esconde sotaque e vira "primogênito"

Treinado pelo ex-tenista Jaime Oncins, Gastão Elias garantiu uma vaga na chave principal do Aberto de São Paulo

Gazeta Esportiva |

Campeão do future que antecedeu o Aberto de São Paulo e dono de uma vaga na chave principal do torneio, o português Gastão Elias é treinado pelo ex-tenista Jaime Oncins. Hospedado na casa do técnico em Vinhedo, ele disfarça o sotaque para tentar escapar das piadas e encarna o papel de primogênito do brasileiro.

"Na verdade, eu tento colocar um pouco de sotaque brasileiro, porque se eu falar português normal ninguém entende e preciso repetir. Já está melhor, né?", pergunta o jovem de 20 anos, nascido em Caldas da Rainha, alvo de piadas do próprio Oncins. "Todo mundo brinca comigo. O Jaime só me chama de 'pois'", contou, rindo.

Em tom de brincadeira, Oncins garante que o sotaque disfarçado é uma ordem. "Eu falei para ele começar a falar português, porque a língua dele lá é mais complicada de entender", disse. "Na relação entre treinador e atleta, você tem que saber o momento de brincar um pouco e a hora de ser sério. Isso faz parte", acrescentou o treinador.

Na casa do ex-tenista, Elias virou parte da família. "É o filho mais velho. Até minha mulher brinca que agora tem um quarto filho homem. Para os meus filhos é até uma motivação, porque eles também jogam", disse o brasileiro, pai de três garotos, o maior de 12 anos, e de uma menina.

Jaime Oncins alcançou a 34ª colocação do ranking de simples da ATP e chegou a ser o 22º em duplas. Entre 1991 e 1999, conquistou dois títulos individuais e mais cinco em parceria. Como tinha apenas 10 anos quando o brasileiro se aposentou, Elias não chegou a vê-lo em ação, mas procurou estudar a carreira do atual treinador, indicado por seu agente.

"Depois que começamos a trabalhar juntos, assisti uns vídeos. Parece que ele jogava legal, né?", pergunta o português, sorrindo. "Acho que ele foi 34º do mundo, teve bons resultados em Roland Garros (parou nas oitavas em 1992) e venceu o Michael Chang (então 6º do mundo) numa Olimpíada (Barcelona-1992). De vez em quando, ele dá exemplos dos jogos dele e isso é muito legal para mim", contou.

Atual 603º do ranking da ATP, Elias planeja encerrar a temporada no top 200. O português, ao lado de Oncins desde agosto, já aponta algumas consequências da parceria. "Melhorei a consistência no meu jogo e na parte mental. Tenho cometido menos erros não forçados. Ele tem muita experiência e sabe muita coisa importante para ensinar", disse.

Oncins, por sua vez, prefere não estabelecer um objetivo para a temporada em termos de ranking. Ele destacou a dedicação do português e explicou que a prioridade no momento é modelar o jogo do pupilo, além de trabalhar o aspecto psicológico de seu 'filho mais velho'.

"Acho que está tudo dentro do programado, ele está evoluindo bem. O meu maior objetivo é dar padrão de jogo a ele e estamos conseguindo. É um cara que trabalha muito duro e é super disciplinado, o que facilita bastante o trabalho do treinador. Estamos trabalhando muito o lado da confiança, de acreditar mais no jogo dele", explicou.

Leia tudo sobre: Jaime Oncinsgastão eliastênis

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG