Ao lado de Alexander Peya, o brasileiro foi eliminado novamente na primeira rodada do Brasil Open, após derrota para o italiano Paolo Lorenzi e o argentino Diego Schartzman

A trajetória de Bruno Soares na história do Brasil Open se resume de duas formas: queda na primeira rodada ou título. Nesta quarta-feira, o tenista mineiro, parceiro do austríaco Alexander Peya, foi eliminado novamente na estreia, assim como em 2014. A dupla foi derrotada pelo italiano Paolo Lorenzi e o argentino Diego Schwartzman  por 2 sets a 1 (4/6, 6/4 e 10/8).

Leia também:  Bellucci minimiza vacilo e diz que adversário teve mérito na vitória

Com a nova queda, agora são três títulos e quatro eliminações na primeira rodada.Sempre bem-humorado, até nos momentos mais complicados, Bruno brincou com o novo revés. "Espero mudar isso no ano que vem, só preciso passar da primeira rodada. Está 4 a 3 para a primeira rodada, precisamos correr atrás disso", ironizou o tricampeão do torneio.

Veja ainda:  Wozniacki deixa uniformes de lado e posa para fotos de biquíni

Bruno Soares em ação no Brasil Open ao lado de Alexander Peya
Daniel Vorley/Divulgação
Bruno Soares em ação no Brasil Open ao lado de Alexander Peya

Em 2013, a dupla Soares/Peya teve seu melhor ano. Foram seis títulos e outras cinco finais. No ano passado, os dois conquistaram dois campeonatos e repetiram o número de decisões. Porém, a dupla não chega a uma final desde agosto de 2014, quando conseguiu o titulo do Masters de Toronto, no Canadá. "Não tinha pensado nisso não, mas faz tempo né. Desde Toronto, está dando saudade. Mas não pesa. A gente vem trabalhando para tentar melhorar e voltar ao nosso ritmo. Como eu falei, no final do ano passado não jogamos o nosso melhor, agora deu uma melhorada. Precisamos voltar aquela confiança de antes".

Na partida desta quarta-feira, mesmo com o apoio da torcida que veio ao Ibirapuera, mas ficou longe de lotar o ginásio, Soares e Peya alternaram bons e maus momentos. Venceram o primeiro set com uma quebra no fim, mas perderam boas chances de encaminhar o placar no segundo. Os vacilos nos momentos importantes custaram a parcial. No super tie-break, a dupla rival chegou a abrir 5 a 1, Soares e Peya igualaram o marcador, porém perderam por 10 a 8.

Para o brasileiro, a altitude de São Paulo atrapalhou um pouco, principalmente no controle dos golpes. "No final, nós sentimos. Nosso jogo caiu e encolhemos um pouco o braço. Aqui em São Paulo é bem complicado quando você encolhe o braço, porque a bola começa a escapar e você perde o controle da situação", finalizou.

Triste pelo revés dentro de casa, Bruno Soares terá a chance de se redimir na próxima semana. Ele e Peya participarão do Rio Open, torneio 500 da ATP. O brasileiro segue para o Rio de Janeiro no fim desta semana para se acostumar ao calor e ao nível do mar da cidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.