Tenista belga disse que está velha para jogar como quer e que já colocou o corpo no limite nos últimos anos

Ex-número um do mundo, Kim Clijsters escolheu o US Open deste ano para se despedir de vez das quadras - entre 2006 e 2009, a belga esteve ausente de competições para dedicar-se ao casamento. Segundo Clijsters, tricampeã do torneio norte-americano, não poderia haver lugar mais especial para a disputa de seu último torneio como tenista profissional.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Belga Kim Clijsters confirmou a aposentadoria para o US Open
Reuters
Belga Kim Clijsters confirmou a aposentadoria para o US Open

Invicta há sete anos na competição - foi campeã em 2005, 2009 e 2010, e esteve ausente entre 2006 e 2008, quando deu uma pausa em sua carreira, e 2011, devido a lesão no abdome -, Clijsters credita sua aposentadoria às seguidas lesões que vem sofrendo nos últimos anos.

Leia mais:  Sharapova brinca na TV e lança revista antes de Aberto dos EUA

"Estou muito velha para jogar como quero fisicamente. Já coloquei meu corpo no limite nesse estilo de vida que tive nos últimos 15, 20 anos", diz, em entrevista ao site oficial do Grand Slam. Entre 2010 e 2012, a belga teve lesões no ombro, punho, pé, tornozelo, abdome.

Sharapova vence Djokovic em desafio de golfe. Assista

Para a belga, os últimos três anos de sua carreira foram surpreendentes. Após parar entre 2006 e 2009, Clijsters voltou à ativa e conquistou dois US Open e um Aberto da Austrália.

Confira ainda:  Aberto dos EUA confirma Federer como 1º cabeça de chave

"Não esperava que as coisas dessem tão certo quando eu voltei depois de ter a Jada (sua filha). Esses últimos três, quatro anos foram uma aventura incrível. Acho que consegui terminar esse capítulo da minha carreira de maneira positiva", analisa, comemorando o fato de encerrar a carreira no palco de três de seus mais importantes títulos.

"O mais importante para mim é que sempre segui meu coração. Fiz o que achava certo e fui verdadeira comigo mesma. Não me arrependo de nada. Sei que sempre dei 100%. O US Open será uma ocasião especial para terminar minha carreira. Com certeza, será emocionante", conclui.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.