iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Tênis

31/03 - 11:28

Livre de acusação de doping, italiano mira Roland Garros
Filippo Volandri já voltará às quadras no Challenger de Monza, vislumbrando uma participação em Roland Garros

Gazeta Esportiva

PARIS (França) - Tenista número 25 do mundo em 2007, Filippo Volandri acaba de terminar um 'pesadelo', como ele mesmo definiu após ser absolvido de uma acusação de doping. O italiano, que fora flagrado com uma substância irregular contida em um remédio para asma, viu sua suspensão de três meses ser encerrada nesta terça-feira, e ele já voltará às quadras na semana que vem, no Challenger de Monza, vislumbrando uma participação em Roland Garros.

Volandri, que em má fase despencou na lista de entradas durante a última temporada, teve seu calvário aumentado em janeiro passado, quando acabou punido pela Federação Internacional de Tênis (FIT) por três meses, perdendo ainda todos os seus pontos no ranking conquistados a partir de agosto de 2008. O motivo foi a substância Ventolin, que serve como estimulante, mas é encontrada também no tratamento contra a asma, doença da qual ele sofre.

Considerado inocente neste terça no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), o italiano comentou aliviado sobre o assunto ao diário La Gazzetta dello Sport, de Milão. "É a minha vitória mais bela no tênis sem a raquete nas mãos. O TAS reconheceu a minha boa fé, porque o caso era muito ridículo. Simplesmente não era um caso de doping, até a justiça diz isso".

Vencida a primeira batalha judicial, o tenista agora quer iniciar outra: cobrará da FIT um ressarcimento por dados morais e materiais no valor de 1 milhão de euros (cerca de R$ 3 mi). "Alguém errou e pagará. Penso no modo como comunicaram a punição - fui excluído do Aberto da Austrália com a chave já pronta -, naquilo que me tiraram, nos torneios que não pude jogar: todo esse tempo parado me matou por dentro", afirmou.

Dentro das quadras, a vida recomeçará para Volandri já na semana que vem, no Challenger de Monza. Porém, o tenista que se destacou ao bater Roger Federer no Masters Series de Roma de 2007 ainda quer recuperar os pontos perdidos no ranking para subir da atual 161ª para a 102ª posição da lista. Assim, poderia disputar Roland Garros

"Com 28 anos não me sinto velho. Estou cheio de raiva pela injustiça sofrida e com muita vontade de atingir satisfações esportivas em alto nível. Enquanto isso, tentaremos recuperar o ranking que eu tinha (102º posto) para poder entrar no Aberto da França sem passar pelo qualificatório. Caso contrário, recomeçarei nos torneios menores", concluiu.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias