iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Tênis

03/12 - 09:19

Há oito anos, Guga se tornava número 1 do mundo

Ex-tenista bateu Andre Agassi em Lisboa e conseguiu feito inédito para o esporte brasileiro 

Gazeta Esportiva

FLORIANÓPOLIS - O momento não é de muita comemoração para Gustavo Kuerten, que vem desprendendo boa parte de seu tempo para o auxílio a vítimas das enchentes em Santa Catarina. Mas o ex-tenista brasileiro certamente se recordará de que esta quarta-feira, dia 3 de dezembro, é especial para sua carreira: nesta data, mas no ano de 2000, Guga vencia o norte-americano Andre Agassi na final da Masters Cup de Lisboa e atingia, pela primeira vez na carreira, o topo do ranking de entradas da ATP.

Esta é a primeira vez que Guga relembra a conquista da chegada à liderança da lista sob a condição de ex-tenista. O catarinense, vale lembrar, se aposentou oficialmente em maio deste ano, em Roland Garros. Então número 1.141 do mundo,o brasileiro convidado perdeu a estréia para o francês Paul-Henri Mathieu por 6/3, 6/4 e 6/2 e disse adeus às quadras.

O tricampeão do Aberto da França fez em 2000 uma de suas melhores campanhas na carreira: conquistou cinco dos 20 títulos. Além da Masters portuguesa, Guga alcançou as taças dos torneios de Santiago e Indianápolis, do Masters Series de Hamburgo e ainda faturou Roland Garros, seu então segundo título em Paris.

Além disso, Kuerten ainda teve um desempenho excelente em dois outros importantes torneios da temporada. Inicialmente, em março, chegou à decisão do Masters Series de Miami no piso rápido após vencer o norte-americano então melhor do mundo Andre Agassi na semifinal, por 6/1 e 6/4.

Guga só foi apenas gênio norte-americano Pete Sampras, que na época era vice-líder do ranking. A decisão, aliás, foi emocionante: Sampras só conseguiu bater o brasileiro após quatro sets, com longas parciais de 6/1, 6/7 (2-7), 7/6 (7-5) e 7/6 (8-6).

Meses depois, em maio, o Manezinho alcançou a final do Masters de Roma. Depois de passar por tenistas de destaque no piso de saibro como os espanhóis Albert Costa e Alex Corretja, foi parado na decisão pelo sueco Magnus Norman, então número 4 da lista, por 6/3, 4/6, 6/4 e 6/4.

Mas a Masters Cup de Lisboa foi, sem dúvidas, um dos grandes momentos da carreira do melhor atleta que o Brasil já teve no tênis masculino e, também, a vingança sobre Sampras e Norman. Primeiro representante nacional a ganhar um Grand Slam masculino, com Roland Garros-1997, Guga se tornou também o primeiro – e único, por enquanto –, a alcançar o topo do ranking da ATP.

E o desempenho de Guga nas quadras lisboetas foi incrível. Então segundo colocado na lista, o brasileiro perdeu a primeira partida para Agassi por 4/6, 6/4 e 6/3, mas duas vitórias seguidas colocaram Kuerten nas semifinais: superou Norman por 7/5 e 6/3 e passou pelo russo Yevgeny Kafelnikov por 6/3 e 6/4.

Nas semifinais, o catarinense reencontrou Sampras e, num jogo extremamente equilibrado, virou para cima do norte-americano e conquistou um triunfo por 2 sets a 1, parciais de 6/7 (5-7), 6/3 e 6/4. Na decisão, mais uma vez Agassi pela frente. Guga, embalado, despachou o carequinha dos EUA por triplo 6/4 e festejou.


Leia mais sobre: Guga Tênis

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Getty Images

Guga se emociona em sua última partida e termina sua carreira de tenista ovacionado em Roland Garros

Agora como ex-tenista
Desde que se aposentou, é a primeira vez que Guga lembra de sua melhor fase na carreira

Topo
Contador de notícias