iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Tênis

23/11 - 18:30

Capitão argentino nega fracasso e mantém mistério sobre futuro
'Tem que ser estúpido para falar em fracasso', rebateu Alberto Mancini

Gazeta Esportiva

MAR DEL PLATA (Argentina) - Apesar dos rumores de racha que surgiram após a derrota argentina para a Espanha na partida de duplas pela Copa Davis no sábado, o técnico Alberto Mancini minimizou a situação após sua equipe perder o título da competição para os europeus neste domingo. Elogiando seu grupo, Mancini demonstrou irritação com as perguntas que insinuavam ter sido um fracasso sua gestão frente à equipe e que questionavam sua permanência no cargo.

'Tem que ser estúpido para falar em fracasso', rebateu. 'Não entendo como isto pode passar pela cabeça de alguém, além de ser uma falta de respeito com os jogadores'.

Favorita na série, jogando em casa, no carpete, a Argentina foi superada pela Espanha por 3 a 1, mesmo com o desfalque de Rafael Nadal no grupo adversário. Para ele, a lesão de Juan Martin del Potro complicou toda a situação. 'Tínhamos uma equipe muito compacta, contávamos com dois jogadores de simples muito fortes. Lamentavelmente, Juan Martin não esteve em seu máximo e terminou tendo este problema (na coxa direita). Eles deram o máximo, mas a Espanha foi uma grande adversária'.

Sobre seu futuro como capitão da Davis, Mancini preferiu ser evasivo. 'Isto quem sabe sou eu e as pessoas que têm de saber. Antes não era o momento para dizer nem agora é. Se é a minha última série ou não, já sabemos desde antes'.

Mancini também não deixou de criticar a postura da imprensa que, segundo ele, criou um ambiente negativo com as últimas notícias sobre brigas internas no grupo. 'Temos que aprender muito com tudo isto. Não apenas os jogadores e a Associação, os jornalistas também porque ontem começaram a dizer que os jogadores tinham brigado, uma coisa ridícula. Isto que é publicado acaba afetando a cabeça dos jogadores', desabafou.


Leia mais sobre:



Alerta de Gols Receba notícias pelo seu celular

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo