iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Tênis

23/09 - 22:12

Fã, Ceni prestigia lançamento de livro de Fernando Meligeni
Já aposentado, “Fininho” lançou “Aqui tem”, coletânea de histórias pessoais e do cotidiano do circuito da ATP

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Goleiro do São Paulo e um dos maiores ídolos da história do Tricolor, Rogério Ceni saiu do treinamento desta terça-feira com destino certo: uma livraria localizada em um shopping na região da Avenida Paulista, onde prestigiou o lançamento do livro de um outro são-paulino, Fernando Meligeni. Já aposentado, “Fininho” lançou “Aqui tem”, uma coletânea de histórias de sua vida pessoal e do cotidiano do circuito da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP).

”Peguei uma hora de trânsito, mas não poderia deixar de vir”, comentou Rogério Ceni ao cumprimentar o amigo. Para quem não sabe, um dos maiores hobbies do goleiro é justamente o esporte da raquete. ”Sempre acompanho o tênis brasileiro. Adoro jogar também, mas dei uma parada por conta dos joelhos, afinal minha profissão é o futebol. Porém, prometi para mim mesmo que, depois que eu encerrar a minha carreira futebilística, minha carreira número 1 voltará a ser o tênis”, revelou.

E o astro tricolor, cuja presença no shopping causou mais rebuliço que a da ”estrela” da noite Meligeni, foi só elogios para o campeão pan-americano de 2003. ”A carreira dele foi extremamente vitóriosa, pois não é qualquer um que consegue chegar entre os melhores do mundo. Para conseguir o mesmo que o Meligeni, é preciso ter uma carreira bem regular e se dedicar muito. A raça do Fininho é o que mais aparece, só que ninguém chega a ocupar a posição dele sem talento”, destacou.

Nascido em Buenos Aires e naturalizado brasileiro, Meligeni tem grande identificação com a torcida verde-amarela. Profissional da modalidade desde 1990, ele conquistou três títulos do circuito durante a carreira (Bastad-1995, Pinehurst-1996 e Praga-1998), além de ter representado o Brasil nos Jogos de Atlanta-1996, onde caiu na semifinal, e ajudado o país a chegar na semifinal da Copa Davis de 2000.

Canhoto, Meligeni atingiu o melhor ranking de sua carreira na semana de 11 de outubro de 1999, quando chegou ao 25º lugar na lista feita pela ATP. Eleito melhor atleta brasileiro pelo COB em 2003, já conseguiu vencer nomes condagrados, como Pete Sampras, Patrick Rafter, Sergi Bruguera e Michael Chang. Aposentou-se após conquistar o ouro nos Jogos Pan-americanos de Santo Domingo, quando conseguiu uma emocionante vitória sobre o chileno Marcelo Ríos, ex-número 1 do mundo.

”Sempre quis mostrar um pouco do que é o circuito no dia a dia e contar exatamente o que eu vivia dentro de uma quadra de tênis, os bastidores, as coisas legais, coisas ruins, vitórias, derrotas, vitórias... A pessoa que ler meu livro vai se sentir dentro do circuito”, garante o ex-tenista, dando uma prévia do que o leitor encontrará nas páginas do ”Aqui tem!”.

”Falo sobre minha naturalização, o motivo pelo qual vim para o Brasil, histórias de brigas que eu tive nos bastidores com o Guillermo Coria, Tommy Robredo, apostas que fiz com o Andy Roddick, Pan, Olimpíada, muitas coisas que as pessoas nem imaginam que possam acontecer dentro do circuito”, garante.

Meligeni começou a escrever o livro sozinho (”Não queria esquecer as coisas pela qual eu passei”) e, quando já tinha mais de cem páginas digitadas no editor de textos Word, uniu-se ao jornalista André Kfouri para organizar as idéias.

”Vi os escritos dele e na hora pintou uma idéia de fazer um livro de histórias. O livro não é nada mais nem nada menos do que isso. Não tem auto-biografia, não tem auto-ajuda... São somente boas histórias que ele viveu”, resumiu o jornalista.


Leia mais sobre: Rogério Ceni Fernando Meligeni

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Gazeta Press

livro andre kfouri

Aí tem admiração
Rogério Ceni (centro) foi o fã 'mais famoso' do livro de Fernando Meligeni (dir.) com André Kfouri (esq.)

Topo
Contador de notícias