iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Tênis

17/07 - 11:24

Gaudio solicita ranking protegido e esboça retorno às quadras

Argetino que chegou a ser o nº5 do mundo, sofreu diversos problemas com contusões

Gazeta Esportiva

BUENOS AIRES (Argentina) - Afastado do circuito profissional de tênis desde janeiro, Gastón Gaudio garante que ainda não se aposentou. Depois de conviver com série de lesões que o fizeram despencar no ranking de entradas, o argentino afirma que voltará a treinar e esboça retorno às quadras para a temporada 2009.

Número cinco do mundo em 2005, um ano após faturar o maior título de sua carreira, Roland Garros, Gaudio não consegue se apresentar com regularidade desde o fim de 2006. A partir de então, uma série de problemas físicos, que incluiu um rompimento nos ligamentos do tornozelo esquerdo e uma tendinite no ombro, começou a atrapalhar sua carreira.

Mesmo ostentando atualmente apenas a 587ª posição na ATP e só tendo atuado por duas vezes em toda a atual temporada, o argentino de 29 anos declarou, em entrevista à rádio La Red, que pretende tentar um último retorno às quadras. “Estou esperando para ver se posso voltar a jogar. Tenho o ranking protegido, então devo esperar um mês a mais”, disse ele, em referência ao sistema que pode garanti-lo na chave principal de pelo menos torneios de nível challenger.

Segundo Gaudio, motivação para retornar ao circuito não lhe falta. “A motivação é vencer a concorrência, que não se compara com nenhum outro trabalho no mundo. É uma necessidade, não há nada que se compare à sensação que se tem antes de entrar na quadra. Sinto falta disso”.

Ele ainda afirmou que pode voltar à ação juntamente ao compatriota Mariano Zabaleta, número 21 do mundo em 2000 e que também não atua desde janeiro passado. “Queríamos para um pouco, foi muita viagem desde os 15 anos e estávamos cansados. Agora nos deu vontade, e, se eu tomar a decisão, voltarei 100%”.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo