iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Tênis

06/07 - 17:25

Nadal interrompe reinado de Federer e conquista Wimbledon
O suíço Roger Federer não conseguiu se tornar o único tenista da história da era profissional a vencer Wimbledon em seis anos consecutivos. Embora favorito para conquistar o título neste domingo, o número um do mundo acabou sendo surpreendido na grama pelo espanhol Rafael Nadal, que comemorou sua primeira conquista de Grand Slam fora do saibro com um triunfo por 3 sets a 2, com parciais de 6/4, 6/4, 6/7 (5-7) e 6/7 (8-10) e 9/7 após longas 4h48 de batalha, em uma partida interrompida duas vezes por causa da chuva.

Gazeta Esportiva

Especialista em piso lento e tetracampeão de Roland Garros, o Rei do Saibro jamais havia vencido um major fora de Paris. O máximo que Nadal havia conquistado antes deste domingo foram os vices do Grand Slam britânico nos anos de 2006 e 2007, mas em ambas perdeu para o suíço na decisão.

Vingado da derrota por 3 sets a 2 do ano passado, o espanhol frustrou os sonhos de Federer em vencer Wimbledon pela sexta vez seguida. Agora, o suíço terá que se contentar em ser um dos pentacampeões, ao lado do sueco Bjorn Borg, dono dos troféus de 1976 a 1980.

Além disso, o atual número um do mundo não conseguiu se aproximar de dois feitos de outro mito do tênis: Pete Sampras. O norte-americano segue soberano na história do All England Club, onde foi sete vezes campeão, e com vantagem nos troféus de Grand Slam: tem 14, contra 12 de Federer.

Para piorar, o tenista da Basiléia ainda verá sua vantagem no ranking de entradas da ATP diminuir ainda mais em relação a Nadal. Se hoje a diferença entre os dois é de 1.145 pontos (6.900 a 5.755), ficará em 545 (6.600 a 6.055) a partir da próxima segunda-feira, quando a lista atualizada será divulgada.

Alheio ao mau momento de Federer, que venceu apenas dois títulos nesta temporada (Estoril e Halle), Nadal leva para Maiorca seu quinto Grand Slam. Agora, o espanhol tem 29 troféus na carreira, sendo o sexto em 2008 (já havia vencido os torneios de Barcelona e Queen’s, os Masters Series de Monte Carlo e Hamburgo e Roland Garros).

Não obstante, o atual vice-líder do ranking ainda ampliou para 12 a 6 a vantagem sobre Federer no histórico de confrontos com o melhor do mundo. Com quatro triunfos nesta temporada (encarou o suíço também nas finais de Monte Carlo, Hamburgo e Roland Garros), Nadal ainda comemorou sua primeira vitória na grama contra Federer. Ele havia perdido os dois embates jogados no piso relvado, os dois em Wimbledon.

Novo campeão do All England Club, Nadal estende para 24 vitórias a sua série invicta, iniciada na Alemanha. Sua última derrota aconteceu no início de maio, quando perdeu na estréia do Masters de Roma para o compatriota Juan Carlos Ferrero. De lá para cá, o Rei do Saibro conquistou quatro títulos: Hamburgo, Aberto da França, Queen’s e Wimbledon.

O jogo: Mostrando disposição desde o início da partida, que teve seu início atrasado por causa da chuva, Nadal foi agressivo mesmo no potente saque de Federer e conseguiu sua primeira quebra de saque rapidamente. Vencendo o serviço do suíço já no terceiro game do dia, o espanhol abriu 2/1 no jogo, vantagem ampliada para 3/1 com alguma dificuldade na seqüência, uma vez que o número um do mundo saiu de 40-0 e pressionou o Rei do Saibro nos iguais.

Com uma quebra de vantagem no placar, Nadal continuou forçando seus games de saque e conduzindo as disputas sob o serviço do suíço. No décimo game, quando tinha 5/4 e a chance de sacar para fechar a parcial, o espanhol oscilou e precisou salvar dois break points antes de confirmar o 6/4 em 48 minutos de atuação.

Mesmo atrás do placar, Federer não se abalou no início da segunda etapa de partida, e quebrou o saque do adversário já no segundo game. Com 3/0 no placar, o suíço parecia conduzir o set sem muitos problemas. Até que, no sétimo game, perdeu o saque para Nadal e permitiu que o rival encostasse em 4/3.

O pentacampeão do All England Club teve a chance de devolver a quebra logo no game seguinte, mas não tirou proveito do break point que teve a seu favor. Embalado, Nadal confirmou o saque, empatou em 4/4 e, de forma surpreendente, ainda derrubou o serviço do suíço no game seguinte e virou o set para 5/4.

Assim como na primeira etapa, Federer teve a chance de evitar que o maiorquino fechasse a parcial em 6/4. O número um do mundo chegou a salvar um ponto do set, mas acabou jogando fora a chance de quebra na vantagem e viu Nadal repetir o 6/4, mas desta vez em 46 minutos.

O maior susto sofrido por Nadal na final de Wimbledon até então aconteceu no terceiro game do terceiro set, quando foi pego no contrapé durante uma disputa de bola com Federer e manquitolou até o final da disputa. No intervalo do game, o espanhol chamou o fisioterapeuta em quadra alegando dores no joelho direito.

De volta à partida, Nadal permitiu a Federer três break points, mas o suíço acabou mais uma vez jogando fora os pontos de quebra e o marcador seguiu empatado, com 2/2. No sexto game, mais três chances para o suíço, que conseguiu desperdiçá-las e viu a igualdade se manter.

O espanhol, porém, não ficou atrás. No sétimo game, o Rei do Saibro abriu 0-40 e teve três oportunidades para abrir 4/3 com uma quebra de vantagem e seguir rumo ao título. Perdeu o triplo break point e o set continuou parelho.

Os dois tenistas confirmaram seus serviços subseqüentes até que Federer abrisse 5/4. Terminado o nono game, a partida teve que ser interrompida por causa da chave, que voltara a cair sobre Londres, e só foi retomada cerca de uma hora depois.

Na quadra novamente, Nadal oscilou no décimo game após abrir 40-0 e permitir o empate do suíço, mas conseguiu confirmar o serviço e empatar a parcial por 5/5. Os dois tenistas mantiveram seus saques nos dois games de extensão do terceiro set, e o tie-break foi necessário para a definição da etapa.

Federer, desta vez, não vacilou: abriu 5-2 com um mini-break e manteve a diferença com 6/3. Nadal esboçou uma reação nos pontos em que teve o saque e salvou dois pontos de set, diminuindo a vantagem para 6-5. Mas o suíço em seguida aplicou um ace para vencer seu primeiro set no domingo, com 7-5, em 1h01.

O quarto set foi ainda mais equilibrado como o anterior, e nenhum dos dois tenistas ofereceu break points ao adversário até o empate por 4/4. No nono game, Nadal chegou a ficar a dois pontos do título com 0-30, mas permitiu a reação de Federer e o empate por 5/5. A igualdade se manteve nos dois games seguintes, e mais um desempate foi necessário para a definição.

Federer conseguiu vencer o primeiro ponto do game extra após uma linda troca de bolas com Nadal na rede, mas sofreu a mini-quebra na seguida e viu o espanhol se recuperar, virando a disputa para 5-2. Mas o espanhol sentiu a pressão, cometeu uma dupla-falta e perdeu três pontos seguidos. O suíço empatou em 5-5, virou para 6-5, mas mandou para fora o primeiro set point.

Nadal chegou ao primeiro championship point com 7-6, mas com um ótimo primeiro saque voltou a igualar a disputa. Em seguida, contudo, o espanhol aplicou uma linda passada para chegar ao segundo ponto do campeonato, com 8-7. Em contrapartida, se equivocou a ir à rede para definir o ponto e voltou a ver tudo igual.

O erro custou a Nadal o quarto set, fechado pelo suíço novamente em 7/6, mas desta vez em 58 minutos e com a parcial de 10-8 no tie-break
Já no quinto e decisivo set, que foi paralisado pela chuva quando cada um tinha dois games, Nadal conseguiu confirmar seu serviço empatando a partida e 4/4, mas o suíço também foi competente e fez 5/4. Sem desistir, o espanhol conseguiu empatar em 5/5. Federer também confirmou seu serviço, aumentando a vantagem para 6/5. Como o previsto, Nadal deixou tudo igual novamente, e o campeão só sairia quando algum tenista abrisse dois games de vantagem (em Wimbledon, não há tie-breaks no quinto set).

A quebra decisiva só aconteceu no 15º game do quinto set. No 16º, Nadal sacou para fechar o torneio e novamente perdeu um ponto do jogo no 40-30. Na vantagem, contudo, o espanhol fez valer o saque e faturou Wimbledon pela primeira vez.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo