Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Santos alega conflito de interesses na demissão de Kleiton Lima

Dirigente explica saida de Kleiton Lima: "O time quer um treinador que tenha um foco exclusivo no Santos"

Samir Carvalho, iG Santos |

O diretor de futebol feminino do Santos, Murilo Barleta, explicou a versão do clube sobre a demissão do técnico Kleiton Lima. Além de exigir exclusividade no cargo em 2011, já que Kleiton acumulava as funções de técnico da equipe santista e também da seleção brasileira da categoria, o dirigente citou incompatibilidade com o estilo de trabalho do treinador.

Samir Carvalho
Diretor de futebol feminino do Santos cita incompatibilidade com o treinador
O dirigente acredita que o técnico Kleiton Lima não se adaptou a nova gestão do clube, que assumiu o cargo no inicio deste ano após vencer as eleições contra a cúpula de Marcelo Teixeira, que estava no comando há uma década. Na gestão anterior, o treinador praticamente tomava todas as decisões em relação ao futebol feminino do clube, o que foi modificado com a saída de Teixeira.

“Optamos por caminhar separados nesse ano de 2011. O Santos necessita de um técnico que tenha um foco exclusivo no Santos, e entendemos que o Kleiton tem Mundial e Pan-Americano, precisa estar com o foco na seleção brasileira. Nós experimentamos esse ano essa maneira de trabalhar, e entendemos que tínhamos que separar. O Kleiton é um excelente técnico, mas

estou pensando no Santos”, disse o dirigente, que explicou a mudança no método de trabalho no clube.

“Nós mudamos a gestão no futebol feminino, mudou bastante. Eu tive liberdade para tocar o futebol feminino. Existe hierarquia, o responsável pelos erros e acertos sou eu. Isso estava claro para todos os envolvidos. Quando você muda gestão às vezes acontece uma coisa ou outra, mas foi superada durante o ano”, completou.

Apesar da grande influência do treinador com as jogadoras, o dirigente santista não teme a saída de algumas atletas por solidariedade a Kleiton Lima. “O que eu procurei conversar com as jogadoras é que elas tinham que pensar grande, que estão no maior time do mundo: o Santos. Elas têm que pensar que estão na seleção brasileira por causa do Santos. É o time que dá a melhor condição. Por muito tempo, era o time do Kleiton, que jogava na região, depois virou o Santos”, concluiu.

 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG