Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Sanchez nega renúncia e diz que Ronaldo fica até o fim do ano

Presidente avisou que não fará "caça às bruxas" por causa da crise que clube atravessa

Gazeta |

O presidente Andrés Sanchez frustrou os torcedores organizados que exigiam a sua saída do Corinthians e a de jogadores renomados, como Ronaldo e Roberto Carlos. O mandatário assegurou que não existe nenhuma possibilidade de ele abandonar o cargo, mesmo que a crise pela eliminação na pré-Libertadores volte a se agravar, e ainda garantiu os empregos de todos os funcionários do departamento de futebol.

"O Corinthians já esteve em situações piores e ressurgiu. Não vamos fazer caça às bruxas, até porque todos somos culpados pelo que aconteceu", bradou Sanchez, lembrando que assumiu a presidência em meio à queda para a Série B do Campeonato Brasileiro, em 2007. "Passei por coisas mais difíceis aqui. Por isso, quero deixar bem claro que jamais pensei em abandonar o barco. Na minha cabeça, está definido que fico até o último dia de mandato."

Membro de torcidas organizas do Corinthians, Sanchez não tinha enfrentado problemas com as facções até a derrota para o colombiano Tolima. Agora, acredita que seus adversários políticos tenham influenciado nos protestos da semana passada. "É um ano de eleição no clube, e a gente conhece como funciona. Há incentivo de pessoas de fora da torcida, mas não sei os nomes. É algo muito triste. O Corinthians não precisa disso", disse.

Para combater as cobranças mais violentas, o presidente tomou algumas medidas de segurança em conjunto com a Polícia Militar (PM) e também decidiu fechar o treinamento do Corinthians à imprensa nesta segunda-feira. Além dele, o principal alvo das manifestações dos torcedores é o atacante Ronaldo. "Mas o Ronaldo só vai sair do clube junto comigo", avisou Sanchez, antes de estender o pensamento ao restante do elenco.

"Se alguém sair do Corinthians, será por problemas comerciais, de negociação. Todos os jogadores continuam aqui, da mesma forma que o Tite segue sendo o nosso treinador", disse, aliviado pela vitória no clássico contra o Palmeiras, domingo, no Pacaembu. "O Corinthians vai se reerguer. A derrota na Libertadores dói, mas somos maiores do que isso tudo."

O presidente disse ainda que Ronaldo, um dos principais alvos da ira da torcida, seguirá com ele até o fim do ano. "Ele ia parar no ano passado e por um pedido meu decidiu continuar nesse ano. Ele vai continuar e sair do Corinthians junto comigo", disse. Sanchez deixa a presidência em dezembro. "Vamos ressurgir das cinzas e ter um belo ano", garantiu,

Leia tudo sobre: corinthiansronaldoandrés sanchez

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG