Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Ronaldo pede à torcida paciência e que não o chame de burro

No Botafogo, o preparador físico comandou a equipe em um clássico com o Vasco, que terminou 1 a 1

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Por mais de uma vez Ronaldo Torres já disse que não pretende se tornar técnico de futebol. Mas como aceitou o pedido do presidente Peter Siemsen para comandar o Fluminense até a chegada do novo treinador, o preparador físico encarou a função como tal e antes do treino desta sexta-feira reuniu os jogadores relacionados para o jogo deste sábado no vestiário por cerca de meia hora. Na conversa, ele falou sobre o momento do clube, fez uma análise sobre o Boavista e fez um apelo ao elenco.

“Eu disse a eles que aceitei o pedido do presidente para ajudar o Fluminense, mas que eles também terão que me ajudar. Eu sou um pseudotreinador e a torcida não pode me chamar de burro” disse Ronaldo, que ao final da conversa foi aplaudido pelo grupo.

Esta não será a primeira vez que Ronaldo Torres exercerá a função de técnico. Quando trabalhava no Botafogo, o preparador físico comandou a equipe em um clássico com o Vasco, que terminou empatado por 1 a 1. Apesar de a estreia ter sido promissora, Ronaldo brincou que nem por RS$ 1 milhão se tornaria treinador de futebol.

No entanto, ele parece ter aprendido alguma coisa com seu ex-companheiro Joel Santana, com quem teve uma parceira de 13 anos. Com trejeitos e uma resenha parecida com a do amigo, Ronaldo arrancou gargalhadas dos jornalistas, que notaram a semelhança.

“Parece? Mas também foram 13 anos juntos, devo ter aprendido alguma coisa com ele. Eu pensei até em trazer uma prancheta, mas para não ficar igual a ele trouxa minhas anotações num papelzinho”, ironizou Ronaldo, tirando um pedaço de papel do bolso.
 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG