Tamanho do texto

Dirigente italiano afirmou que "por enquanto" meia-atacante não sai do Milan

Mesmo após o diretor do Milan, Umberto Gandini, ter afirmado que o presidente Silvio Berlusconi quer que o meia Ronaldinho Gaúcho permaneça no clube italiano, a diretoria do Grêmio não desanimou e segue tentando a liberação do ex-jogador do Barcelona. Segundo o vice-presidente tricolor Eduardo Antonini, substituindo Paulo Odone, em férias no Uruguai, as declarações do dirigente italiano são absolutamente normais.

"Ninguém vai desvalorizar um jogador que é patrimônio do clube", explicou à Rádio Gaúcha . "Não custa lembrar que ele foi duas vezes o melhor do mundo. Nenhum clube tem interesse em perder um jogador assim. Essa declaração me parece até meio óbvia, natural. Talvez seja parte até de uma eventual negociação que eles queiram fazer com o Ronaldo. É normal", reforçou.

Grêmio e Gaúcho tem tudo acertado, e o agente do craque, seu irmão Assis, vai encontrar o vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, ainda nesta terça-feira, no Rio de Janeiro. Segundo Antonini, as dificuldades eram esperadas e a decisão final será tomada pelo Conselho do clube, presidido por Paulo Odone.

Ronaldinho Gaúcho participou de 30 minutos do treinamento do Milan, em Dubai
AFP
Ronaldinho Gaúcho participou de 30 minutos do treinamento do Milan, em Dubai

"Ultimamente nenhuma negociação é fácil, ainda mais com um jogador desse porte. Afunilamos as negociações, chegamos às principais bases. Obviamente que não podemos divulgar os valores, mas as coisas foram bem encaminhadas. A pendência que persiste é a liberação por parte do Milan. Nesse momento, a bola está com o Assis, para que ele tente", concluiu.