Publicidade
Publicidade - Super banner
Pan
enhanced by Google
 

Tiago Camilo desabafa com ouro e fala em redenção após críticas

Judoca brasileiro luta pela terceira medalha olímpica na terceira categoria diferente (até 90 kg)

Marcel Rizzo, enviado iG a Guadalajara |

  Tiago Camilo “deitou” o cubano Asley Gonzalez na final do judô categoria até 90 kg e gritou. O ouro estava garantido, e depois o desabafo também. “Essa vai para as pessoas que não acreditaram em mim. Eu não estava indo bem em grandes torneios, mas aí está. Esta é a minha volta”, disse Camilo, que não ganhou medalha no Mundial disputado em Paris este ano.

Veja também: Camilo e Guilheiro vencem todas por ippon e levam ouro no judô

Camilo foi a revelação brasileira do início dos anos 2000, ganhando a prata na Olimpíada de Sidney, em 2000, com apenas 18 anos. Lutava na categoria até 73 kg, depois subiu para até 81 kg, foi bronze em Pequim (2008), e acabou engordando ainda mais, para até 90 kg, quando não conseguiu repetir os bons resultados.

Confira ainda: Maria Portela e Mayra Aguiar faturam bronze no judô

“Estava muito, mas muito mesmo focado nesse Pan. Era o momento de mostrar que posso ir bem em grandes competição. Aqui é a as Olimpíadas das Américas, grandes lutadores, pude mostrar que posso estar bem para Londres (2012)”, disse Camilo. Ele tem até abril de 2012 para estar entre os 22 melhores judocas na categoria para garantir vaga nos Jogos Olímpicos – o Pan não somou pontos nesse ranking.

Leia também: Ouro de Luciano Corrêa no judô acirra disputa entre Brasil e Cuba

O técnico da seleção masculina, Luiz Shinohara, disse que Camilo algumas vezes fica muito ansioso em grandes competições. “Isso atrapalha um pouco, às vezes o favoritismo não se confirma porque o clima de uma grande competição, que tem torcida vibrante, incomoda”, disse. A delegação de Cuba costuma levar muitos atletas para eventos nos quais pode levar medalha para ficarem de torcida, já que não há cubanos viajando para ver o Pan, por isso a torcida contra foi grande no ginásio Code 2.

Veja ainda: Guilheiro encerra “inferno astral” com o ouro no Pan de 2011

O cubano rival de Camilo na final foi bronze no mundial, mas não era favorito contra o brasileiro, que dominou a luta e venceu por ippon (o nocaute no judô). O brasileiro venceu todos os combates por ippon. “É minha característica tentar o golpe, entrar na luta. Sempre sou assim”, disse.

Leia tudo sobre: Pan 2011judôTiago CamiloBrasil

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG