Publicidade
Publicidade - Super banner
Pan
enhanced by Google
 

Tênis masculino tem chance de formar o pódio no Pan

Torneio dos Jogos tem nível mais baixo do que challenger e os brasileiros entram como favoritos

Ana Carolina Cordovano, especial para o IG, de São Paulo |

Getty Images
Ricardo Mello forma a equipe brasileira no Pan com Rogério Dutra Silva e João Olavo Soares
Em um torneio com a presença de jogador não ranqueado e com casos de quem não disputou competição oficial nesta temporada, o Brasil entra como favorito na chave masculina do tênis, esporte que abre seu programa nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara nesta segunda-feira, a partir das 13h de Brasília.

A equipe brasileira é a mais forte no México. João Olavo Soares, o Feijão, 106º do ranking mundial da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais), Rogério Dutra Silva, o 119º, e Ricardo Mello, o 112º, estão fazendo uma boa temporada, com títulos conquistados.

E é grande a chance de um deles trazer a terceira medalha de ouro para o Brasil e até, quem sabe, os três ocuparem o pódio. O país vem de dois ouros em Pan, com Fernando Meligeni em Santo Domingo-2003, e Flávio Saretta no Rio-2007.

Leia mais: tudo sobre o Pan de Guadalajara

O Pan costuma reunir jogadores perto de se aposentar ou jovens que ainda estão fazendo a transição para o profissional. Nesta edição não faltam casos pitorescos. O canadense Christopher Klingemann, por exemplo, ocupa a 958ª posição no ranking e, segundo o site da ATP, não disputou um torneio sequer da entidade neste ano.

Os brasileiros são cabeças-de-chave e não entram em quadra nas simples nesta segunda. O adversário de Feijão sairá do confronto entre o equatoriano Julio Cezar Campozano, 421º, e o dominicano José Hernandez, sem pontos para entrar na classificação. Rogerinho, que chegou à segunda rodada do US Open, não vai ter problemas na estreia. Tanto o cubano Willian Sanchez e Alexander Llompart, das Bahamas, estão fora do ranking mundial. Mello, por sua vez, enfrentará o vencedor da partida entre o equatoriano Ivan Endara, 448º, e o venezuelano Luiz Garcia, 690ª.

Leia também: Brasileira supera fase complicada para ir ao Pan

Mais experiente da equipe, Mello não canta vitória antes do tempo e prefere acreditar que os brasileiros terão, sim, dificuldades em quadra. "A chave é equilibrada, mas temos boas chances de medalha", disse.

Quem pode dar trabalho aos brasileiros são os argentinos Horacio Zeballos, 104º do mundo, e Eduardo Schwank, 162º. Os dois já estiveram entre os 50 melhores do mundo, mas não fazem uma boa temporada. Nenhum dos dois conquistou troféus em 2011. Do lado brasileiro, Feijão venceu um challenger e foi semifinalista do ATP 250 de Kitzbühel, na Áustria. Rogerinho conquistou dois challengers e foi a duas finais. E Mello soma dois títulos de challenger.

Mello tem uma conquista de torneio de ATP no currículo - foi em Delray Beach, em 2004. O único tenista no Pan que já venceu um ATP é o chileno Nicolas Massú. Porém, aos 32 anos, o dono de dois ouros (simples e duplas) nas Olimpíadas de Atenas-2004 vem penando para voltar aos seus dias de glória, depois de sofrer com uma série de contusões. Hoje, é apenas o número 452 do mundo.

Feminino tenta manter tradição nas duplas
Se a chave masculina é fraca até se comparada a torneios challenger, no feminino as brasileiras encontrarão maiores dificuldades. São duas jogadoras top-100: as norte-americanas Irina Falconi, 73ª, e Christina Mchale, 42ª.

As brasileiras estreiam nesta segunda. Ana Clara Duarte, 318ª do ranking mundial da WTA, enfrenta a porto-riquenha Monica Puig, 262ª, às 19h de Brasília. Vivian Segnini, 278ª, pega a mexicana Ximena Hermoso, 435ª, às 21h, mesmo horário da partida entre Teliana Pereira, 315ª, e peruana Bianca Botto, 350ª.

A maior chance das brasileiras continua sendo na chave de duplas. Desde o Pan de Havana-91, o tênis feminino traz medalha. No México, Teliana, bronze com Joana Cortez no Rio-2007, fará parceria com Ana Clara.

Depois de 16 anos, haverá disputa de duplas mistas. Vivian jogará com Rogerinho.

Ana Carolina Cordovano
Vivian Segnini estreia nesta segunda contra a mexicana Ximena Hermoso

 

Leia tudo sobre: tênisbrasilpan 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG