Tenista pode conquistar o terceiro título seguido do Brasil em Jogos Pan-Americanos

AFP
Rogério Dutra Silva comemora vitória que lhe garantiu na final do Pan de Guadalajara
O brasileiro Rogério Dutra Silva venceu o equatoriano Julio Cesar Campozano nesta sexta-feira, por 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 6/7 (5) e 7/5, em quase três horas de jogo, e vai buscar o tricampeonato pan-americano para o tênis masculino. O adversário da final em Guadalajara é o colombiano Robert Farah, em jogo programado para este sábado, às 20h (horáro de Brasília).

Leia mais: brasileiro já garantiu bronze nas duplas mistas

O Brasil vem de duas conquistas na chave de simples masculina. Flávio Saretta venceu no Rio-2007, e Fernando Meligeni, quatro anos antes, em Santo Domingo. Tanto Saretta, que chegou à 44ª posição no ranking mundial da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais) mesmo sem ter vencido um torneio de simples, como Meligeni, com três títulos no currículo, ficaram marcados pela medalha no Pan .

Aos 27 anos, Rogerinho vive sua melhor fase. Venceu nesta temporada um Challenger (torneio de menor pontuação), foi à segunda rodada do US Open (um dos quatro principais torneios do mundo), e alcançou a 111ª colocação no ranking. Nesta semana é o 116º colocado. "É muito bom poder defender o tricampeonato do Brasil e tentar repetir conquistas de caras como Meligeni e Saretta. Claro que é uma responsabilidade, mas uma responsabilidade gostosa", disse.

O tenista de São Paulo está treinando em Balneário Camboriú, em Santa Catarina, na academia do técnico Larri Passos, que hoje acompanha Thomaz Bellucci , melhor tenista brasileiro da atualidade, mas que ficou marcado pelo trabalho ao lado de Gustavo Kuerten, ex-número 1 do mundo.

Confira o quadro de medalhas do Pan

Na partida desta sexta, Rogerinho quebrou logo de cara o saque de Campozano. Depois, manteve a regularidadade para fechar o primeiro set por 6/4. No segundo, voltou a quebrar o serviço do rival, fazendo 5 a 4. Porém, não confirmou o seu serviço, se desconcentrou, e viu o rival abrir 6 a 5. Rogerinho ainda buscou o empate, mas perdeu no tie-break.

O terceiro e decisivo set seguiu igual, e teve alguns momentos nervosos e curiosos. Mais de uma vez, os pontos tiveram de voltar porque, durante a disputa, a bola furava. No 12º game, Rogerinho quebrou o serviço do equatoriano e fechou por 7/5. Emocionado, ficou uns cinco minutos sentado, comemorando a conquista.

Entre os três tenistas que vieram para o Pan, Rogerinho era o menos cotado para o ouro. Porém, Ricardo Mello e João Olavo Soares , o Feijão, foram eliminados e coube a ele a tarefa de manter o bom desempenho dos brasileiros na competição.

Há três edições de Pan, o Brasil traz medalha no masculino. Além dos dois ouros, nos Jogos de Winnipeg-1999, Paulo Taicher conquistou o bronze.

O adversário da final, o colombiano Robert Farah, tem 24 anos e ocupa a 230ª posição. Rogerinho o conhece bem. Eles já se enfrentaram quatro vezes, com duas vitórias para cada um. No último jogo, neste ano, o brasileiro levou a melhor. Para ir à final, Farah venceu o dominicano Victor Estrella, algoz de Mello, por 2 a 0, com um duplo 6/4.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.