Publicidade
Publicidade - Super banner
Pan
enhanced by Google
 

Quantidade de punições no judô gera polêmica e reclamações no Pan

Árbitro brasileiro nega orientação para impedir empates, mas concorda que número de punições está alto

Marcel Rizzo e Vicente Seda, enviados iG a Guadalajara |

Apesar do sucesso da equipe brasileira no judô do Pan de Guadalajara, um fato vem incomodando bastante os lutadores: a quantidade de “shido”, punição aplicada por golpe falso ou falta de combatividade, durante os combates no ginásio Code II.

Veja também: Brasileiro vai à final do judô após defecar no próprio quimono

Vicente Seda
Árbitro Jefferson Vieira negou instruções para aumento das punições
O árbitro brasileiro Jefferson Vieira, que está atuando no México, afirmou ao iG que não houve orientação para que evitar que as lutas fossem para o “golden score”, desempate no qual qualquer pontuação, inclusive um “shido”, dá a vitória ao atleta. O chefe da equipe brasileira, Ney Wilson, porém, afirmou o contrário, endossado pelo medalhista de ouro Leandro Guilheiro.

Confira ainda: Guilheiro encerra “inferno astral” com o ouro no Pan de 2011

“Existiu a orientação, mas o estilo do judô pan-americano já é bastante conhecido por nós, ou seja, não dá para justificar os nossos insucessos com isso. O que deu para perceber é que existem determinados árbitros que estão sendo mais velozes nas punições, mais rigorosos. A gente orienta antes de o atleta entrar no tatame, mas levamos dois dias para absorvermos isso, para entendermos quem eram os árbitros que estavam penalizando muito”, reclamou Ney, que contestou o resultado de uma luta deste sábado, a semifinal perdida por Sarah Menezes.

Leia também: Tetracampeã do Pan começou a praticar caratê com roupa de balé

“A luta da Érika (Miranda), por exemplo, lutou vigiada por uma árbitra mexicana que está bem prestigiada nas finais, mas penaliza muito rapidamente. Então falei para ela: ‘Não pode parar ou será penalizada’. Independente disso, na luta da Sarah eu questiono a pontuação que marcaram, vou pedir para ver com a arbitragem, a queda foi aqui na frente, e não pareceu ter sido o que marcaram, nem ponto foi”, argumentou.

Jefferson Vieira, por sua vez, frisou que a Federação Internacional de Judô apenas orientou que a regra fosse aplicada e afirmou que em nenhum momento foi orientado a evitar empates nos combates. “Não foi dito desta forma, que tem de dar punição para evitar empate. O ‘shido’ é uma regra internacional que tem de ser aplicada quando há uma falta de combatividade ou ataque falso, e só foi cobrado dos árbitros que apliquem a regra. Só isso. Em nenhum momento foi dito que tem de evitar empate. A regra existe, tem o golden score”.

Confira o quadro de medalhas completo do Pan de Guadalajara

Ainda assim, indagado sobre a quantidade de punições desta natureza que estão sendo aplicadas no Pan de Guadalajara, Vieira reconheceu que está acima do usual. “Tenho notado que está havendo um grande número de punições sim, mas justamente porque está sendo cobrado dos árbitros que apliquem a regra. Talvez, em alguns eventos, tenha corrido um pouco mais solto, mais relaxado, e agora está sendo cobrado pela Federação Internacional de Judô que a regra seja aplicada”.

COB
Atuação dos árbitros tem sido decisiva nos Jogos Pan-Americanos

Para o campeão pan-americano Leandro Guilheiro, o fato têm prejudicado os atletas e também o espetáculo. O judoca afirmou que a quantidade de punições têm feito com que os atletas passem a tentar golpes de forma apressada, o que muitas vezes pode ser fatal. Ele insinuou que os árbitros estão aparecendo demais nas lutas.

“Realmente estão punindo muito rápido. Há duas áreas de competição e a área dois, onde lutei, estavam punindo muito acima da média. Então parece que estão querendo evitar que os combates cheguem ao ‘golden score’ e acaba prejudicando às vezes. O problema é que você acaba tentando encaixar o golpe de forma meio afobada, justamente para evitar ser punido. Acho que a luta fica ruim, não sai muita queda, parece que o árbitro está interferindo o tempo inteiro no combate, então não vejo de uma forma positiva. Acho que o árbitro tem de aparecer o mínimo possível na luta”, analisou.

Leia tudo sobre: Pan 2011BrasiljudôLeandro Guilheiro

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG