Treinador levará seleção principal de vôlei para Guadalajara para não interromper planejamento da temporada

As seleções brasileiras de vôlei terão caras diferentes no Pan-Americano 2011 . Enquanto o time masculino contará com o elenco B e será comandado por Rubinho , a equipe feminina levará sua força máxima ao México. Para o técnico José Roberto Guimarães, é importante contar com suas principais jogadoras em quadra para ganhar ritmo para a Copa do Mundo, principal torneio do ano já que classifica as três melhores equipes para os Jogos Olímpicos de Londres , e não quebrar a sequência no planejamento da seleção.

Veja a tabela de jogos das seleções de vôlei do Brasil no Pan 2011

“A equipe precisaria seguir jogando no período entre o Sul-Americano e a Copa do Mundo e não conseguiríamos nenhuma equipe para vir jogar no Brasil. Só ficaríamos treinando, mas o que nos dá o parâmetro da equipe são os jogos. No Pan, além de representarmos o País, poderemos aproveitar e nos preparar para a Copa do Mundo”, explica o técnico em entrevista exclusiva ao iG . “Vamos encarar República Dominicana e Cuba com os times completos e teremos esse parâmetro. Vamos saber do que o time precisa até para nortear os treinamentos”, completa.

A seleção feminina tem um calendário apertado neste ano. Depois da conquista do Sul-Americano , as jogadoras ganharam três dias de folga e voltaram a treinar na quinta-feira. O embarque para o México será na próxima terça. E pouco depois do Pan, elas seguem para o torneio no Japão, que vale a vaga olímpica. Segundo Zé Roberto, com pouco tempo de treinamento, não seria viável mudar a equipe ou usar um time B , como no caso do masculino.

Leia também: Para vôlei masculino do Brasil, Pan 2011 será um torneio para ganhar experiência

“Temos levantadoras novas, que precisam de jogos, precisam de rodagem. E também não adiantaria poupar alguém porque eu não posso ter uma dissociação da levantadora com as atacantes. Treinadinho o time está, o que precisa agora é jogar e continuar o trabalho. Pode até ter o desgaste das viagens, mas é preciso jogar para melhorar o ritmo, a relação bloqueio e defesa e o conhecimento das levantadoras em relação às atacantes”, comenta.

Paula Pequeno será a única mudança na seleção em relação ao time campeão sul-americano
Divulgação/CBV
Paula Pequeno será a única mudança na seleção em relação ao time campeão sul-americano
Participar de tantas competições já fazia parte dos planos de Zé Roberto desde o começo deste ciclo olímpico. E o objetivo do técnico é repetir a fórmula que deu certo em 2008, com o ouro em Pequim.

“Antes de Pequim o nosso planejamento era de fazer 160 jogo internacionais. Chegamos a 144, bem próximo da meta. Agora queremos a mesma coisa para que as jogadoras cheguem à Londres mais preparadas. Em 2010 participamos apenas do Grand Prix e do Mundial. Agora optamos por jogar mais”, afirma.

“E no ano que vem quase não vamos jogar. Teremos de maio a junho para treinar para as Olimpíadas e talvez jogar o Grand Prix e já seguir para as Olimpíadas. Se não jogar agora, vou jogar quando? Tenho que manter o time junto e jogando neste ano”, completa Zé Roberto.

A seleção brasileira feminina de vôlei disputa o Pan de Guadalajara de 15 a 20 de outubro. Já a Copa do Mundo será de 4 a 18 de novembro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.