Ponteira sofreu lesões nas vértebras C5 e C6, na coluna cervical, e levara oito semanas em recuperação

Vipcomm
Jaqueline teve alta neste domingo e seguiu para o hotel onde a seleção está hospedada no México
A ponteira Jaqueline , que sofreu uma fratura cervical depois de um choque com Fabi na estreia da seleção feminina de vôlei , teve alta do hospital Real San José. A jogadora já está em repouso no hotel onde a delegação do vôlei está hospedada em Guadalajara, próximo à Vila Pan-Americana.

Leia também: Jaqueline sofre fratura na cervical e está fora do Pan 2011

Jaqueline saiu do hospital com um colar cervical para proteger o local da lesão, as vértebras C5 e C6, e ficará no hotel com as companheiras e repetirá exames. Ela deve voltar ao Brasil na terça ou na quarta-feira. A ponteira foi cortada dos Jogos Pan-Americanos e também está fora da Copa do Mundo, torneio em novembro que classifica para as Olimpíadas de Londres.

Segundo Zé Elias, preparador físico da seleção feminina, a ponteira se recupera bem. "Jaqueline está bem. Ela passou por exames e testes de sensibilidade nesta manhã (em Guadalajara) e respondeu bem a todos os procedimentos", disse. A recuperação da atleta deve demorar oito semanas.

Para João Grangeiro, médico do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), a situação da jogadora é animadora. "As notícias são extremamente positivas. Pelo tipo de trauma que ela sofreu, as consequências poderiam ser maiores", disse Grangeiro, que atendeu a atleta. Ele falou também que o atendimento correto ajudou para o não agravamento da lesão da atleta. 

Leia também: Zé Roberto pensou no pior ao ver Jaqueline caída

Jaqueline se chocou com a líbero Fab i na partida de estreia do Brasil no Pan-Americano e sofreu uma concussão cerebral e teve enjoos em quadra. Ela deixou o local imobilizada e seguiu para o hospital. Ainda na madrugada, ela passou pelos primeiros exames. Foi diagnosticada fratura na cervical .

Nesta manhã, especialistas foram consultados para melhor avaliar as condições de Jaqueline. "Realizamos uma videoconferência com o neurocirurgião e especialista em lesões de coluna, Osmar Moraes, que, direto de São Paulo, avaliou os exames radiológicos e discutiu conosco a evolução clínica da atleta. Esse é um recurso inovador na medicina do esporte, utilizado pela primeira vez pelo COB para complementar o atendimento aos atletas da missão brasileira", explica Grangeiro.

João Granjeiro também está otimista sobre a recuperação de Jaqueline, que deve voltar a jogar no alto nível. Apesar da pequena fratura na região da coluna cervical, a jogadora não precisará passar por cirurgia. "Ela poderá reintegrar seu grupo, o que é muito bom neste momento. Temos certeza de que ela terá uma boa recuperação".

*com iG São Paulo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.