Publicidade
Publicidade - Super banner
Pan
enhanced by Google
 

Handebol feminino busca vaga em Londres-2012 e o tetra no Pan

Depois de passar fácil por EUA, Uruguai, República Dominicana e México, agora enfrentará a Argentina, na noite deste domingo

iG São Paulo |

Com as melhores estatísticas nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara - 51% de aproveitamento defensivo, 73% no ataque, 168 gols marcados e apenas 55 sofridos -, a seleção brasileira feminina de handebol vai em busca do tetracampeonato na competição e a vaga nas Olimpíadas de Londres-2012 . O desafio final está marcado para este domingo, às 23h (horário de Brasília), contra a Argentina.

Leia também: Meninas do handebol fazem superprodução antes das partidas no Pan

O time brasileiro chega invicto à decisão, após ter vencido Estados Unidos, Uruguai e República Dominicana na primeira fase, além do México, na semifinal. Uma das características que contribuíram para a boa campanha no Pan - traduzida pelos números expressivos - é a reunião no grupo de veteranas como a goleira Chana Masson - de 32 anos -, bicampeã do Pan (Santo Domingo-03 e Rio-07), e jovens talentos, casos da armadora-esquerda Moniky Bancilon, de 21, e a ponta-direita Jéssica Quintino, de 20, estreantes em Pan.

Veja como está o quadro de medalhas do Pan-Americano

"Apesar dessa diferença de idade, a cada dia de convivência criamos um vínculo mais forte e isso se reflete dentro de quadra. Estou muito feliz de fazer parte desta seleção e poder aprender com as mais experientes. Elas dão dicas, dão toques e sei o quanto esse Pan-Americano está sendo valioso para o meu futuro", disse Moniky. "Estou vivendo a competição como um momento único e muito especial, tendo consciência da importância que esse título e a vaga olímpica têm", completou.

Leia também: Handebol masculino se poupa e faz 41 a 17 na República Dominicana

O técnico Morten Soubak destaca, no entanto, que não vê as mais novas como inexperientes. "Grande parte da equipe está disputando a competição pela primeira vez, mas não gosto de falar em experiente ou não. O que acontece, na prática, é que as mais velhas dão o apoio necessário às mais novas nas horas mais importantes. É um grupo muito unido, que segue minha filosofia de trabalho e está preparado para fazer o seu melhor na final", avalia.

Divulgação
Chana Masson, de 32 anos, que é bicampeã dos Jogos Pan-Americano

Leia tudo sobre: handebolpan 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG