Em parceria com Ana Clara Duarte, ele vence venezuelanos na disputa do terceiro lugar

Getty Images
Ana Clara Duarte disputa ponto na rede, observada por Rogerinho
Duas horas e meia depois de garantir a vaga na final do torneio de simples dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, Rogério Dutra Silva voltou para a quadra para a decisão da medalha de bronze das duplas mistas. E valeu a pena. Rogerinho e sua parceira, Ana Clara Duarte , venceram os venezuelanos Adriana Perez e Roman Recarte por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (4), 5/7 e 11/9, e garantiram um lugar no pódio.

Leia também : Rogério disputa o ouro

A chave de duplas mistas não era disputada desde a edição de Mar del Plata-1995. A medalha desta sexta-feira é a quarta do Brasil nessa modalidade. O país já tinha duas pratas, com Thomaz Koch/Maria Esther Bueno, em São Paulo-1963, e com William Kyriakos/Claudia Chabalgoti, em Havana-1991, e um bronze de Fernando Rose/Gisele Miró, em Indianápolis-87.

A partida valendo medalha foi equilibrada e, por uma confusão do juiz ao final do terceiro set, nervosa. No primeiro set, os brasileiros até conseguiram uma quebra, fazendo 3 a 2, mas os venezuelanos devolveram e o set acabou indo para o tie-break, vencido por Rogerinho e Ana Clara por 7 a 4. No segundo, os venezuelanos abriram 5 a 5, o Brasil empatou, mas a vitória ficou com os venezuelanos por 7 a 5.

Veja também: Ricardo Mello critica organização

O terceiro set é disputado no sistema do super tie-break (até 10 pontos). A dupla da Venezuela abriu 7 a 5. O Brasil diminuiu para 7 a 6. Foi nessa hora que o juiz de cadeira fez a primeira lambança . Errou o placar dizendo que o Brasil vencia por 8 a 6. Os venezuelanos se irritaram e o placar foi corrigido. Em belos pontos de Ana Clara na rede, o Brasil empatou por 8 a 8, quando ocorreu nova confusão. Os jogadores confundiram a ordem de quem sacava. O juiz também não sabia dizer de quem era a vez. Precisou o chefe da arbitragem entrar na quadra para resolver a questão. Ana Clara sacou e num erro de Recarte, o Brasil ficou com o bronze.

A medalha de Ana Clara limpou um pouco a barra do tênis feminino no Pan. Nas simples, as três representantes - as outras foram Teliana Pereira e Vivian Segnini - perderam na primeira rodada. Nesta sexta, Teliana e Vivian perderam a disputa pelo bronze e, depois de 24 anos, o tênis feminino voltará de um Pan sem medalha.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.