Tamanho do texto

Em parceria com Ana Clara Duarte, ele vence venezuelanos na disputa do terceiro lugar

Getty Images
Ana Clara Duarte disputa ponto na rede, observada por Rogerinho
Duas horas e meia depois de garantir a vaga na final do torneio de simples dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, Rogério Dutra Silva voltou para a quadra para a decisão da medalha de bronze das duplas mistas. E valeu a pena. Rogerinho e sua parceira, Ana Clara Duarte , venceram os venezuelanos Adriana Perez e Roman Recarte por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (4), 5/7 e 11/9, e garantiram um lugar no pódio.

Leia também : Rogério disputa o ouro

A chave de duplas mistas não era disputada desde a edição de Mar del Plata-1995. A medalha desta sexta-feira é a quarta do Brasil nessa modalidade. O país já tinha duas pratas, com Thomaz Koch/Maria Esther Bueno, em São Paulo-1963, e com William Kyriakos/Claudia Chabalgoti, em Havana-1991, e um bronze de Fernando Rose/Gisele Miró, em Indianápolis-87.

A partida valendo medalha foi equilibrada e, por uma confusão do juiz ao final do terceiro set, nervosa. No primeiro set, os brasileiros até conseguiram uma quebra, fazendo 3 a 2, mas os venezuelanos devolveram e o set acabou indo para o tie-break, vencido por Rogerinho e Ana Clara por 7 a 4. No segundo, os venezuelanos abriram 5 a 5, o Brasil empatou, mas a vitória ficou com os venezuelanos por 7 a 5.

Veja também: Ricardo Mello critica organização

O terceiro set é disputado no sistema do super tie-break (até 10 pontos). A dupla da Venezuela abriu 7 a 5. O Brasil diminuiu para 7 a 6. Foi nessa hora que o juiz de cadeira fez a primeira lambança . Errou o placar dizendo que o Brasil vencia por 8 a 6. Os venezuelanos se irritaram e o placar foi corrigido. Em belos pontos de Ana Clara na rede, o Brasil empatou por 8 a 8, quando ocorreu nova confusão. Os jogadores confundiram a ordem de quem sacava. O juiz também não sabia dizer de quem era a vez. Precisou o chefe da arbitragem entrar na quadra para resolver a questão. Ana Clara sacou e num erro de Recarte, o Brasil ficou com o bronze.

A medalha de Ana Clara limpou um pouco a barra do tênis feminino no Pan. Nas simples, as três representantes - as outras foram Teliana Pereira e Vivian Segnini - perderam na primeira rodada. Nesta sexta, Teliana e Vivian perderam a disputa pelo bronze e, depois de 24 anos, o tênis feminino voltará de um Pan sem medalha.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.