Tamanho do texto

Brasileiro teve pouco tempo para se adaptar ao novo calçado depois de assalto, e terá de competir em pista descoberta

Divulgação
Patinador Marcel Sturmer teve de se adaptar a novos patins para buscar o tricampeonato
O brasileiro Marcel Stürmer terá dois desafios para conquistar o tricampeonato da patinação artística, que começa a ser disputada neste domingo no Pan-Americano de Guadalajara . Além de se adaptar em pouco tempo a patins novos, vai competir em uma pista ao ar livre, o que não é comum em provas no Brasil. 

Leia mais: Brasileiro supera susto com roubo de carro para brilhar no Pan

Patinar em um lugar aberto exige maior atenção. O vento pode atrapalhar em algumas manobras, e a claridade incomoda quem está acostumado a lugares fechados, como os brasileiros. A competição começa no final da tarde no horário de Guadalajara. "Acho que só uma vez competi em pista descoberta", contou Janaína Espíndola, medalha de bronze no Pan de Winnipeg-1999 e hoje treinadora de Talitha Haas , representante do Brasil no feminino.

Marcel chegou ao México na segunda-feira, e já treinou no local da competição, construído dentro de um parque a 15km da Vila Pan-Americana. "O vento pode atrapalhar na hora dos saltos", opinou.

O patinador gaúcho diz já ter superado o susto do dia de embarcar para o Pan . Suas malas, com suas roupas de apresentação e seus patins estavam no carro da sua treinadora, Jaqueline Nonnenmacher, que foi levado por um ladrão, em Porto Alegre. O carro foi encontrado, mas as malas não estavam no porta-malas.

O brasileiro viajou assim mesmo. Ganhou patins novos e teve a promessa da sua costureira de que novas roupas seriam feitas em tempo recorde para serem entregues a ele em Guadalajara. Segundo Marcel, é necessário pelo menos três meses para que os novos patins sejam amaciados e se adaptem aos pés do competidor. Com o "imprevisto", o brasileiro teve alguns dias para treinar com os novos calçados. Já as roupas chegaram a tempo, graças ao esforço de sua costureira e de sua família.

Marlene Lens, que faz as roupas de Marcel desde que ele é garoto, passou noites trabalhando e conseguiu entregá-las para um juiz de vôlei, com viagem marcada para Guadalajara na quarta-feira, e que se disponibilizou a levar o material.

Veja também: Rivalidade Brasil e Argentina esquenta disputa na patinação artística no Pan

Com suas roupas em mãos, Marcel pôde se preocupar apenas com a competição. Como já ocorreu nas duas últimas edições, seu grande adversário é o argentino Daniel Arriola . A rivalidade entre os dois é grande. O argentino de 30 anos perdeu de Marcel nos últimos dois Pans - Rio-2007 e Santo Domingo-2003 -, mas tem um melhor resultado em Mundiais, a medalha de prata na edição de 2010, em Portimão/Portugal. Marcel tem dois bronzes e, neste ano, em novembro, no Mundial de Brasília, sonha com o ouro, competindo em casa.

As provas da patinação artística serão disputadas em um local descoberto, dentro de um parque
Divulgação
As provas da patinação artística serão disputadas em um local descoberto, dentro de um parque
O patinador brasileiro venceu todas as competições que disputou neste ano: o Sul-Americano, a Copa Inter-Americana e o Pré-Pan. Nos Jogos Sul-Americanos do ano passado, em Medellín, na Colômbia, ficou com a prata, atrás de Arriola.

"Ninguém quer essa medalha de ouro mais do que eu", disse o brasileiro, que também aponta o norte-americano John Christian Burchfield e o colombiano Leonardo Parrado como outros candidatos à medalha.

A patinação artística nos Jogos Pan-Americanos começa com o programa curto, neste domingo, às 20h30 (horário de Brasília). A série, na qual os patinadores têm que apresentar movimentos obrigatórios, vale 25% da nota final. No dia seguinte é a vez do programa longo, quando eles podem abusar da interpretação e têm mais liberdade na série. Depois dessa apresentação serão conhecidos os campeões.

Marcel já tem as suas músicas definidas. No domingo, o brasileiro usará o tema do Cisne Negro. No dia seguinte, será James Bond.

Adolescente tenta supreender

No feminino, o Brasil estará representado pela também gaúcha Talitha Haas, de 16 anos. Talitha ganhou destaque quando conquistou a medalha de bronze na categoria júnior no Mundial de Freiburg, na Alemanha, em 2009. Neste ano, foi ouro no Sul-Americano, no Brasileiro Júnior e na Copa Inter-Americana. Também tem um bronze no Pré-Pan, competição classificatória para os Jogos de Guadalajara. A favorita ao ouro é a argentina Elizabeth Soler, que conquistou o Pré-Pan.

Além dos dois ouros de Marcel e do bronze de Janaína, técnica de Talitha, o Brasil tem mais quatro bronzes em Pans, sendo que o esporte esteve no programa em sete edições dos Jogos.