Publicidade
Publicidade - Super banner
Pan
enhanced by Google
 

Cuba chega ao Pan com a meta de manter o 2º lugar geral

Com 442 atletas e seus principais campeões olímpicos e mundiais indo a Guadalajara, a delegação cubana pretende permanecer no topo

EFE |

Getty Images
Sem grandes concorrentes, cubano Dayron Robles aparece como principal força nos 110m com barreiras
Cuba competirá nos XVI Jogos Pan-Americanos, em Guadalajara, com 442 atletas classificados e com o objetivo de manter a segunda posição da classificação geral por países, mas ainda sem uma previsão de quantas medalhas de ouro pretende conseguir.

Leia também: Brasil terá terceira maior delegação do Pan

A delegação cubana levará todos os seus campeões olímpicos e mundiais em atividade, como o velocista Dayron Robles, recordista nos 110 metros com barreiras, e o lutador Mijaín López, campeão mundial em quatro ocasiões, eleito porta-bandeira do país no desfile inaugural.

Os cubanos estarão presentes em 28 dos 38 esportes programados na competição, e, portanto, não terão chances em 111 dos 361 títulos que serão disputados. O Pan é considerado como o "principal compromisso do esporte em Cuba", segundo o vice-presidente do Conselho de Ministros e representante do Comitê Olímpico Nacional, José Ramón Fernández.

As autoridades esportivas destacaram que Cuba tentará manter o segundo lugar que é sempre alcançado desde 1971. A única exceção desde então foram os Jogos de 1991, quando sediaram o evento e desbancaram os EUA, ficando com a liderança geral.

A imprensa especializada calcula um número entre 55 e 65 para as medalhas de ouro de Cuba nesta edição, que significariam mais de 20% do total de suas chances, ao mesmo tempo em que provocariam uma queda nos seus resultados neste tipo de competição nos últimos 20 anos. Em 1995, a delegação cubana obteve 112 ouros em Mar del Plata; em 1999, foram 69 ouros em Winnipeg; em 2003, 72 em Santo Domingo; e no Rio, há quatro anos, o número caiu para 59.

O atletismo será o esporte com maior número de representantes, com 65 atletas, e espera-se que ao menos possam igualar as 12 medalhas de ouro, oito de prata e dez de bronze obtidas há quatro anos. Outros favoritos são a arremessadora de peso Misleydis González e o atleta de salto com vara Lázaro Borges, segundo no Mundial realizado recentemente em Daegu, na Coreia do Sul. Os lutadores de estilos livre e greco-romano, com seis medalhistas mundiais, tentarão dominar em nove divisões.

Os coletivos de judô, com vasta experiência e resultados em competições de alto nível, aspiram a cinco ouros, e podem vir mais por meio de levantadores de pesos, remadores e pugilistas, estes últimos com o campeão mundial Roniel Iglesias em seu elenco, desejam alcançar os primeiros lugares. O ciclismo é outro esporte individual de alto nível, com a campeã mundial Yoanka González, junto com ciclistas como Lisandra Guerra e Yumari González.

Acompanhe o Blog da Maurren Maggi, direto de Guadalajara

Ganhar no beisebol, o esporte principal da ilha, é para os cubanos uma questão de honra, mas também possuem força para vencer no vôlei, onde existe muita rivalidade na América, sobretudo com a seleção brasileira.

Leia tudo sobre: Pan 2011Cuba

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG