Ala-armadora não participou da conquista da vaga olímpica na Colômbia por conta das finais da WNBA e fará sua estreia no Pan

Os Jogos Pan-Americanos marcam o retorno da ala-armadora Iziane Marques à seleção brasileira. Aos 29 anos de idade, a atleta fará a sua estreia na competição e se mostra bastante animada em lutar pela medalha de ouro em Guadalajara.

Leia também: Enio Vecchi ressalta trabalho forte da seleção na preparação para o Pan

“É meu primeiro Pan, então é lógico que quero muito esse título”, disse a atleta. “Não podemos entrar de salto alto. Temos de jogar com seriedade, pensar apenas em atuar bem para que as pessoas que estão assistindo tenham vontade de jogar. É com esse pensamento que devemos entrar em quadra”.

Se esses planos forem concretizados, o basquete feminino brasileiro voltará a ser campeão do Pan após 20 anos. A última conquista aconteceu na edição de Havana, em 1991, quando a seleção contava com Hortência, Paula e Janeth – três das melhores jogadoras brasileiras da história.

Iziane volta à equipe nacional depois de não ter participado da conquista da vaga olímpica em Neiva, na Colômbia , em virtude da reta final de temporada do Atlanta Dream na WNBA. Pelo segundo ano consecutivo, ela foi vice-campeã da liga norte-americana.

Em 2011, Iziane foi vice-campeã da WNBA pelo Atlanta Dream pelo segundo ano consecutivo
Getty Images
Em 2011, Iziane foi vice-campeã da WNBA pelo Atlanta Dream pelo segundo ano consecutivo
O Atlanta bateu o Indiana Fever na final da Conferência Leste – disputada no sistema melhor de três – muito por conta das atuações inspiradas da brasileira. Foram 30 pontos anotados no segundo jogo do confronto e 23 no último. No entanto, o rendimento de Iziane e de toda a equipe não foi o mesmo na decisão. Assim, o Atlanta foi dominado pelo Minnesota Lynx e acabou o campeonato, mais uma vez, sem o título.

No Pré-Olímpico em Neiva, a seleção brasileira parece não ter sentido muito a falta de Iziane. Apesar de algumas jogadoras terem lamentado a ausência da ala-armadora, o time se portou bem sem ela. Foram seis vitórias em seis jogos, incluindo o massacre contra a Argentina na decisão por 74 a 33 e vaga assegurada nos Jogos de Londres.

Leia também: Guilherme Giovannoni afirma que base do Pré-Olímpico pode ajudar no Pan

A última vez que Iziane atuou pela seleção foi no Mundial da República Tcheca, em 2010. Longe de ter sido brilhante, a jogadora teve médias de 13,4 pontos e 1,9 rebote por partida e o Brasil encerrou a competição na nona posição – pior colocação desde o décimo lugar em 1990.

No currículo de Iziane como profissional constam ainda duas outras participações em Mundiais, além do quarto lugar nas Olimpíadas de Atenas, em 2004. Ela poderia ter disputado os Jogos de Pequim, em 2008, mas ficou de fora por conta do desentendimento com o técnico Paulo Bassul durante o Pré-Olímpico na Espanha, meses antes da competição, quando se recusou a entrar em quadra durante uma partida contra Belarus.

Enquanto Bassul esteve na seleção, Iziane não foi mais convocada. Ela só voltou a ser chamada em 2010, pouco antes da disputa do Mundial, quando o técnico já era o espanhol Carlos Colinas.

Veja o calendário dos Jogos Pan-Americanos

Do Pan, Iziane jamais participou. A animação por disputar o torneio pela primeira e o desejo de voltar a triunfar com a camisa da seleção são os principais instrumentos de motivação da atleta para a competição.

O Brasil estreia no Pan nesta quinta-feira às 13h30 (horário de Brasília) contra o Canadá. Na sequência da primeira fase, enfrentará Jamaica e Colômbia, no mesmo horário.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.