Tamanho do texto

Depois de passar mal na sexta-feira em Guadalajara, recordista mundial não teve problemas para liderar a prova nas eliminatórias

O brasileiro Cesar Cielo se classificou para a final da natação dos 100 m livre do Pan-Americano de Guadalajara , neste domingo, sem sustos. Ele marcou o tempo de 48s89 e liderou a sua bateria e as eliminatórias no geral, sem muito esforço, e afirmou ter ficado surpreso com o resultado

Leia também: Repouso foi a medicação para Cielo em Guadalajara

A final será realizada neste domingo, às 22h15 (no horário de Brasília), na qual o brasileiro terá a chance de conquistar o bicampeonato Pan-Americano na prova, depois do triunfo no Rio de Janeiro 2007. O objetivo declarado do nadador é ganhar quatro ouros em piscinas mexicanas e estabelecer um recorde pessoal. Ainda neste domingo, ele também participa do revezamento 4 x 100 m livre.

Cesar Cielo se surpreende com sua marca nas eliminatórias dos 100 m livre no Pan
Jefferson Bernardes/VIPCOMM
Cesar Cielo se surpreende com sua marca nas eliminatórias dos 100 m livre no Pan

Cielo se mostrou satisfeito com o tempo que fez em sua estreia em Guadalajara: "Deu para dar uma seguradinha no final e foi melhor do que eu esperava. Estava esperando fazer um tempo de 49s50 mais ou menos", afirmou o nadador, sorridente, em entrevista à TV Record.

Blog do Rogério Romero: Rivais de Cielo na final, irmãs colocam as Ilhas Caiman no mapa

"O bom é que deu para superar o adversário mais difícil, que é a altitude. Agora é tentar o recorde dessa prova à noite. Tenho de vir mais preparado, claro, pois tem uma molecada aí que vem forte", disse o paulista de Santa Bárbara d'Oeste.

Leia também: No 1º dia do Pan, Thiago Pereira leva ouro no 400 m medley

Sem sustos
Na noite da última sexta-feira, Cielo sentiu nauseas e precisou passar pelo hospital. Ricardo Moura, chefe da natação brasileira no Pan-Americano, afirmou que o problema foi relacionado à altitude de pouco mais de 1.500 m em Guadalajara. Segundo o próprio Moura, o nadador não teve nenhuma infecção e a única medicação de Cielo foi descansar durante o dia de sábado.

O chefe da natação brasileira destacou que o descanso, neste caso, é parte do treino. “Os efeitos da altitude para os atletas são muito ruins, então o repouso passa a fazer parte do seu trabalho. Ele está tranquilo, é muito confiante e muito consciente do que tem de fazer”, disse Moura. Outros nadadores brasileiros sentiram dificuldade na chegada à cidade mexicana.

Neste domingo, Cielo não teve problemas para concluir sua prova. O nadador procurou minimizar a visita ao hospital e afirmou que fez "apenas exames de rotina", para avaliar seu rendimento físico na altitude.

Ainda neste domingo, outro brasileiro, Bruno Fratus, caiu na piscina pelas eliminatórias e não conseguiu fazer uma boa bateria. Com o tempo de 50s51, ele foi apenas o terceiro colocado e acabou eliminado da final. Um resultado que certamente decepcionou o atleta, que chegou ao México com aspirações de pódio.