Tamanho do texto

Campanha brasileira em Guadalajara poderá começar com ouro de Thiago Pereira e vaga olímpica de Yane Marques

O primeiro dia de competições dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara pode reservar um bom saldo para a delegação do Brasil. Se não ocorrer nenhuma grande zebra, os atletas brasileiros terão conquistado na largada do Pan 2011 nada menos do que sete medalhas. E com boas chances de emplacar duas de ouro.

Um destes candidatos a faturar um ouro é Thiago Pereira , que briga com o mesa-tenista Hugo Hoyama para conseguir o recorde de maior medalhista brasileiro em Pan-Americanos. E neste sábado o nadador irá competir em uma de suas provas favoritas, os 400m medley.

Recordista em medalhas de ouro no Pan 2007, Thiago Pereira se prepara em treinamento em Guadalajara
AFP
Recordista em medalhas de ouro no Pan 2007, Thiago Pereira se prepara em treinamento em Guadalajara

E a natação poderá render ao Brasil outras três medalhas, todas entre as mulheres. A principal favorita é Daynara de Paula , que nadará os 100 m borboleta. Outra que pode terminar o dia com medalha é Joanna Maranhão, nos 400 m medley, prova na qual foi bronze no Pan-Americano de 2003, em Santo Domingo. Por fim, o revezamento 4 x 100 m feminino também possuí boas chances de faturar uma medalha.

Leia também: CT e aclimatação transformam taekwondo do Brasil em potência

Mas será numa modalidade pouco conhecida no Brasil que poderá não somente aparecer uma medalha de ouro como também a vaga para as Olimpíadas de Londres, no ano que vem. A pernambucana Yane Marques é a grande favorita a ficar com o ouro na prova feminina do pentatlo moderno , repetindo o feito de 2007, no Pan do Rio de Janeiro. E se for campeã pan-americana no México, Yane garantirá presença nos Jogos Olímpicos do ano que vem.

O taekwondo também pode emplacar uma medalha brasileira na largada do Pan, através de Márcio Wenceslau, na categoria até 58 kg . Nos Jogos de 2007, ele ficou com a prata. E também há chance de o Brasil conquistar medalha no primeiro dia da ginástica rítmica desportiva (GRD), através de Angélica Kvieczynski , na final individual geral.