Tamanho do texto

Brasileira afirmou que seu auge foi em Daegu, quando foi campeã. Amigas, ela e cubana foram eleitas musas do dia

EFE
Fabiana Murer perdeu a disputa com adversária cubana e ficou com a prata no salto com vara
“O que importava em 2011 era o Mundial”, disse a brasileira Fabiana Murer depois de perder o ouro certo no salto com vara dos Jogos Pan-Americanos nesta segunda-feira, em Guadalajara. Ela saltou 4,70 m, o que imaginava antes da competição que lhe daria o título, mas a cubana Yarisley Silva conseguiu ultrapassar a barra em 4,75 m, melhor marca da carreira e venceu.

Leia ainda: Fabiana Murer decepciona e fica com a prata no salto com vara

Pensava que com 4,70 m venceria , porque essa era a melhor marca dela (Silva). Mas hoje ela foi muito bem, foi o auge dela, e eu não estava no meu auge, que foi no Mundial. O que importava era o Mundial, por isso toda minha preparação foi para ele. Claro que queria o ouro aqui, uma pena”, disse Murer, que em agosto foi campeã em Daegu, na Coreia do Sul, saltando 4,85 m (a cubana foi apenas quinta, com 4,70 m).

Longa espera

A brasileira esperou duas horas e meia para saltar desde o início da prova, já que as saltadoras menos qualificadas iniciaram seus saltos em 3,60 m e Murer participou apenas a partir dos 4,50 m. Só que nas duas primeiras tentativas nessa marca ela falhou, o que dava ares de tragédia. Na terceira passou e só foi parar no 4,70 m.

Veja ainda: Cruz Nonata fatura a prata nos 10 mil feminino

“É um pouco ruim esperar tanto porque cansa e você tem que ficar junto com as outras competidoras. Houve também uma diminuição do vento nesse período que fiquei esperando e com isso precisei de três saltos na primeira marca para me acostumar. No aquecimento o vento estava mais forte”, explicou a atleta.

Leia também: Com bronze, Joilson Silva é o terceiro medalhista do atletismo

Murer, que foi ouro nos Jogos Pan-Americano do Rio, em 2007, com a marca de 4m70, viu também seu recorde na competição ir para a cubana pelos cinco centímetros de diferença. As duas são amigas. “Eu a conheci melhor no Mundial, depois ela participou também de uma competição na Europa e pudemos conversar, falar de estratégias. Ela mereceu ganhar hoje (nesta segunda)”, declarou Murer.

Leia ainda: Com arrancada no final, Adriana da Silva leva o ouro na maratona

As duas foram consideradas pelo locutor do estádio de atletismos as musas do primeiro dia de competição da modalidade. A todo momento ele afirmava que era preciso ser “guapa” (bonita) para saltar e comparou Murer a Yelena Isinbayeva, russa recordista mundial com 5,06 m e também reconhecida pela beleza.

Veja também: Brasil é bronze no lançamento de disco

Veja as imagens das competições de atletismo desta segunda-feira em Guadalajara: