Publicidade
Publicidade - Super banner
Pan
enhanced by Google
 

A maratona de Solonei Rocha não para

Ouro na maratona, Solonei tinha acabado de chegar do aeroporto e foi direto participar de um evento, com várias histórias do Pan

Luís Araújo e Mauricio Nadal, especial para o iG, em São Paulo |

Guilherme Tosetto
Solonei Rocha exibe a medalha de ouro da maratona e o óculos que ganhou de presente de Mahau Suguimati
O campeão da maratona no Pan de Guadalajara, Solonei Rocha, mal chegou ao aeroporto de Guarulhos após mais de 9 horas de voo e nem teve tempo de descansar, sendo convocado para um evento de um de seus patrocinadores. Mas isso não tirou o seu bom humor. Cheio de histórias para contar, o atleta de 29 anos roubou a cena em uma loja da refinada rua Oscar Freire, centro de compras paulistano, nesta terça-feira.

Leia mais: Solonei dedica ouro a amigos lixeiros

Rocha ostentava os mesmos óculos de cor verde que usou na maratona, dado de presente e trazidos do Japão pelo amigo e companheiro de seleção, Mahau Suguimati, quinto colocado nos 400 m com barreiras no Pan. O medalhista de ouro falou sobre vários detalhes da prova que o consagrou, inclusive sobre o fato de segurar a bandeira do Brasil quando ainda restavam 5 km para o fim da maratona, numa demonstração de muita confiança.

Confira ainda: Solonei fatura o último ouro do Brasil no Pan

“Vi um torcedor perto da cerca com uma bandeira grande do Brasil na mão. Não pensei duas vezes e peguei da mão dele”, disse Solonei, que ainda falou sobre a bronca que levou do seu técnico Clodoaldo Carmo. “O meu treinador gritava para mim jogar a bandeira fora, porque ele achou que estava atrapalhando o meu ritmo de prova, mas não obedeci. Amarrei melhor ela no meu braço e fui até o fim”, concluiu o carismático atleta, que foi de gari à seleção em apenas dois anos.

O atleta estava tão acostumado com a rotina do Pan, que seu relógio ainda marcava o horário de Guadalajara. “Cheguei agora do aeroporto, nem deu tempo ainda de arrumar o meu relógio para o horário do Brasil”, disse o sorridente ex-gari.

Guilherme Tosetto
Solonei exibe o ouro conquistado na maratona e o óculos dado de presente por Mahau Suguimati

O maratonista também falou sobre o desejo de reencontrar sua família, depois de um período distante durante a preparação para o Pan. “Não vejo a minha mulher há mais de um mês. Meus pais, então, nem lembro quando foi a última vez que os vi”, comentou Rocha.

Com essa disposição toda, o medalhista de ouro no Pan afirmou que não vê dificuldades para obter o índice para as Olimpíadas de Londres. “O índice de Londres é 2h15min. Neste ano eu fiz 2h11min32s em uma prova na Itália e não devo ter dificuldades de fazer esse tempo de novo. Só não consegui no Pan porque a altitude pesou bastante”, concluiu. Ainda há muitas maratonas pela frente para Solonei. 

Relembre a conquista de Solonei Rocha na maratona do Pan:

Leia tudo sobre: atletismopan 2011Solonei Rocha

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG