O país será a próxima sede do Pan-Americano e quer fazer bonito como preparatório para o Pan 2015

Após os Jogos Pan-Americanos de 2007, quando conseguiu 138 medalhas (39 de ouro) e ficou em quarto lugar no quadro de medalhas, o Canadá chega a Guadalajara para superar os resultados do Rio de Janeiro, e aumentar os bons resultados visando ter sucesso na edição de 2015 do evento, já que Toronto sediará a competição.

A grande estrela do futebol feminino do país, Christine Sinclair, será a porta-bandeira da delegação na cerimônia de abertura de Guadalajara. Sinclair, de 28 anos, é a capitã e a maior goleadora na história do time canadense, com 117 gols em 162 jogos.

"É uma honra, me sinto profundamente comovida por ter sido escolhida a porta-bandeira do Canadá", disse a atleta, que competiu nas três últimas Copas do Mundo e nos Jogos Olímpicos de 2008. "Carregarei a bandeira com orgulho em nome de toda a equipe e representarei nosso país de modo que todos se sintam orgulhosos", declarou.

Sinclair ajudou sua seleção a conseguir uma medalha de bronze no Pan passado, em que marcou o primeiro gol na vitória por 2 a 1 sobre o México na decisão do terceiro lugar. Anteriormente, o Canadá havia perdido para os EUA por 2 a 1 na semifinal.

Leia também: Cielo chega à Vila Pan-Americana de capuz e óculos escuros

A delegação canadense, cujos chefes são Jacques Cardyn e Curt Harnett, é composta por 493 atletas (257 homens e 236 mulheres), que representam cada uma das dez províncias do país, assim como os territórios do nordeste. Trata-se do segundo maior número de atletas que o país envia para um Pan, atrás apenas dos 618 que participaram dos Jogos de 1999, em Winnipeg.

Harnett, o ciclista mais renomado do país, três vezes medalhista olímpico, será o chefe da missão canadense. "Estou encantado por poder ajudar e apoiar a nova geração de atletas canadenses", declarou o ciclista, que destacou as oportunidades de classificação que estarão disponíveis em Guadalajara para Londres-2012 , assim como a importância do Pan em Toronto, daqui a quatro anos.

"Está claro que o movimento pan-americano está gozando de uma ascensão espetacular, e é um momento estupendo para fazer parte desta evolução", considerou Harnett, que falou que a experiência que se consegue neste tipo de competição, é chave na hora de se preparar para participar de uma Olimpíada.

Leia também: Maurren Maggi vai atrás do tri pan-americano

O mesatenista Angi Luo, de 15 anos, será o mais jovem da delegação, enquanto o cavaleiro Ian Millar, de 64 anos, será o mais velho. É a nona participação em Pans do atleta. Entre as modalidades com classificação para Londres-2012, estão esportes como o atletismo, o hóquei sobre grama, o handebol, o judô, a natação, o tênis, o triatlo e o pólo aquático, entre outros.

Pela equipe de atletismo, aparecem nomes como Dontae Richards-Kwok (100 e 200 m) e Kerri-Ann Mitchell (100 m), num elenco que, segundo o treinador Les Gramantik, "não é o melhor possível". "Devido ao calendário, é muito difícil enviar os nossos melhores atletas", comentou.

No tênis, participarão Pierre-Ludovic Duclos, Chris Klingemann e Gabriela Dabrowski, enquanto a equipe de beisebol participará da competição pela primeira vez desde 1999, com jogadores como Mark Hardy, do San Diego Padres, e Jonathan Malo, do New York Mets. O Canadá competirá em todos os esportes em disputa, com exceção da pelota basca.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.