Publicidade
Publicidade - Super banner
Olimpíadas
enhanced by Google
 

Ibirapuera terá estádio e ginásio novos

Governo do Estado liberou R$ 33 milhões para a realização das obras no estádio Ícaro de Castro Mello

AE |

A capital paulista passou boa parte do ano sem pistas de atletismo, mas começará 2011 com duas excelentes opções. Depois da reforma no Centro Olímpico, no fim de julho, agora é a vez de o Estádio Ícaro de Castro Mello, palco das principais competições do esporte em São Paulo, ficar pronto. A nova pista, azul como a do Estádio Olímpico de Berlim, faz parte de uma intervenção em todo o Conjunto Desportivo Constâncio Vaz Guimarães, área de 95 mil metros quadrados que é conhecida, principalmente, por ter entre suas instalações o Ginásio do Ibirapuera - também reformado com a promessa de solução de problemas crônicos. Poderá ser novamente utilizado a partir do próximo mês.

"Desde a abertura do conjunto, nunca houve uma reforma dessa abrangência", conta Eduardo Anastasi, administrador do Constâncio - o ginásio, que é a mais antiga das instalações, foi inaugurado em 1957. O governo do Estado liberou verba de R$ 33 milhões para a readequação de todos os equipamentos, incluindo também a revitalização do Parque Aquático Caio Pompeu de Toledo, entre outras intervenções. A execução da obra é da construtora Recoma e o arquiteto Eduardo de Castro Mello, filho de Ícaro, coordenou a parte de projetos. No dia 29, o governador Alberto Goldman fará uma vistoria no local.

A última reforma na pista, um dos setores mais críticos do Constâncio, havia sido realizada em 2003, graças a uma parceria com a BM&F Bovespa. Depois disso, sem manutenção, o uso contínuo desgastou a borracha e, pelo menos desde 2008, atletas como a campeã olímpica Maurren Maggi e a campeã mundial Fabiana Murer treinavam em um piso duro, correndo risco real de lesões. "Lutamos muito para essa reforma, que acabou ocorrendo em tempo recorde", afirma José Antonio Martins Fernandes, presidente da Federação Paulista de Atletismo. "Agora temos duas pistas de nível internacional e queremos trazer grandes eventos de volta para São Paulo."

A verba para a reforma do Ibirapuera estava prevista em orçamento desde o fim de 2009, mas problemas com a licitação só permitiram o início das obras em agosto. O atraso foi compensado com 320 homens trabalhando diuturnamente. Mesmo assim, as chuvas dos últimos dias devem fazer com que os planos de Anastasi sejam frustrados - o administrador queria a pista pronta para o dia 31.

As águas de dezembro serviram, ao menos, para colocar à prova a nova impermeabilização do ginásio. As goteiras que molhavam a quadra, causando vergonha à cidade no Mundial Feminino de Basquete em 2006, são um problema do passado, resolvido graças a uma manta branca, de PVC, que agora envolve toda a cúpula do Ibirapuera, trabalho realizado por 18 alpinistas profissionais.

Leia tudo sobre: Ibirapuera

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG