Intenção da entidade que controla os esportes olímpicos é aplicar a regra já nos Jogos de Londres, em 2012

O COI (Comitê Olímpico Internacional) se comprometeu nesta segunda-feira a elaborar regras que permitam identificar as atletas femininas com um "excesso de produção de hormônios masculinos" para determinar sua participação ou não nas competições olímpicas.

A intenção do COI é que essas regras, que estarão baseadas em vários princípios definidos por um grupo de especialistas, sejam aplicadas, pela primeira vez, nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, informou o presidente da Comissão Médica do COI, o sueco Arne Ljungqvist.

O sueco - que também é vice-presidente da Agência Mundial Antidoping (AMA) - apresentou o pedido ao Comitê Executivo do COI para a criação de regras que ajudem a resolver os casos dessas atletas com excessos de produção de hormônios masculinos.

"Trata-se de proteger a integridade das mulheres no primeiro nível esportivo, no olímpico", explicou Ljungqvist, que considera necessária a medida, apesar dos reduzidos casos registrados nos últimos dez anos.

De acordo com o que foi debatido pelos membros do COI, "as mulheres deveriam ser escolhidas para competir nas categorias femininas sempre e quando seus níveis de andrógenos - hormônios masculinos - forem inferiores à média registrada nos homens".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.