Na primeira etapa de vendas das Olimpíadas de 2012, foram feitas 22 milhões de solicitações, mas os organizadores alegam que os locais de competição no Rio de 2016 são menores

BBC

O Comitê Rio 2016 confirmou em balanço divulgado na noite desta quinta-feira que recebeu 5,2 milhões de pedidos de ingressos  para a Olímpiada do Rio de Janeiro na primeira rodada de solicitações, um quarto do total registrado nos Jogos de Londres de 2012 na mesma etapa.

Na capital britânica, foram 22 milhões de pedidos na primeira fase. 

O prazo para solicitar ingressos para as Olimpíadas do Rio  se encerrou às 23h59 de quarta-feira.

Segundo os organizadores, no Brasil haverá, ao final de todas as etapas de vendas, 7,5 milhões de ingressos disponíveis, contra 11 milhões que foram disponibilizados em Londres.

Nessa primeira etapa de pedidos, o Comitê Rio 2016 disponibilizou 4,5 milhões de entradas.

Veja imagens das obras de algumas instalações para as Olimpíadas de 2016


Quanto aos esportes mais procurados, outra diferença. Nos Jogos do Rio, a modalidade mais disputada foi o vôlei, tanto de quadra quanto de praia, enquanto em Londres mais da metade dos 20 milhões de pedidos se destinaram às finais de atletismo (que só aparece em quinto no ranking brasileiro).

Na lista dos cinco esportes mais procurados nesta etapa no Brasil estão ainda, em sequência, as finais de futebol, basquete, natação e atletismo.

Segundo os organizadores, a diferença do total de ingressos disponibilizados nas duas olimpíadas se deve ao tamanho dos locais de competição.

Veja ainda:  Ingressos para as Paraolimpíadas começam a ser vendidos em setembro

"O Estádio Olímpico de Londres tinha capacidade para 90 mil pessoas, enquanto o nosso acomoda 70 mil. As arenas inglesas eram maiores, o velódromo também, muito maior. Isso explica a diferença de 11 milhões disponíveis lá e 7,5 milhões aqui", disse à BBC Brasil Donovan Ferreti, diretor de ingressos do Comitê Rio 2016.

Detalhes

Do total de pedidos, cerca de 5% indicaram opção pelo pagamento à vista, 80% optaram pela compra parcelada, em até cinco vezes sem juros no cartão de crédito, e aproximadamente 15% decidiram pelo pagamento virtual, através de um site de pagamentos.

O Comitê Rio 2016 acrescentou que os Estados com maior procura de ingressos, são, respectivamente, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Amazonas.

De acordo com Ferreti, os pedidos dessa rodada se referem somente aos realizados em território brasileiro. "Em outros países os responsáveis pelas vendas são os comitês olímpicos locais. Alguns já começaram, outros ainda não. Eles têm autonomia total, e podem optar pelo sistema de sorteio ou até venda direta, por ordem de recebimento dos pedidos", disse.

Acompanhe a preparação para o Rio 2016 no blog Espírito Olímpico

Ele adiantou, no entanto, que a procura fora do país já é grande, e que 70% dos ingressos, cerca de 5 milhões, foram reservados para brasileiros.

Cada usuário pôde solicitar até 20 ingressos, e segundo os organizadores foram registrados pedidos de apenas R$ 20, até solicitações de R$ 100 mil numa mesma compra.

Para se ter uma ideia dos valores, os ingressos dos jogos de vôlei masculino, modalidade mais disputada, variam de R$ 50 a R$ 100 nas fases preliminares e R$ 350 a R$ 1,2 mil nas finais.

Lições e problemas

O valor dos ingressos foi um dos principais problemas registrados nos Jogos de Londres, e uma das recomendações feitas pelos organizadores britânicos que os brasileiros decidiram implementar.

"No nosso planejamento, o foco sempre foi que o brasileiro pudesse participar e pudesse pagar pelos ingressos. No caso do vôlei de praia, num jogo preliminar, você pode optar pelo mais em conta, de R$ 50, e se tiver meia entrada, paga R$ 25, podendo parcelar em até cinco vezes de R$ 5", explicou Ferreti.

As finais, no entanto, têm valores muito superiores.

"Sem dúvida nenhuma nós recebemos todas as recomendações e as lições de Londres. A questão do alto valor das entradas e da porcentagem destinada aos britânicos nos foi repassada e por isso planejamos preços acessíveis e uma reserva aos brasileiros, desde o início", disse.

Um relatório da Assembleia de Londres, um órgão com membros eleitos que monitora as atividades da prefeitura londrina, teceu duras críticas ao processo de venda dos ingressos.

Os principais problemas identificados foram a falta de transparência, clareza insuficiente sobre os preços e falhas na distribuição de ingressos com preferência para o público local.

Outros problemas incluíram falhas no site de vendas dos ingressos logo na primeira etapa de pedidos. Ao longo do processo, mais panes ocorreram. No Brasil, o Comitê Rio 2016 diz que as solicitações ocorreram com tranquilidade e dentro das expectativas, sem problemas tecnológicos.

Etapas

Em junho, um sorteio definirá quais dos 5,2 milhões de pedidos de ingressos foram contemplados com os 4,5 milhões disponíveis. Quem não conseguir, terá prioridade no segundo sorteio, fechado a apenas quem já tinha registrado solicitações agora em maio.

Em outubro, uma repescagem será aberta novamente ao público, com os ingressos restantes, mas desta vez apenas o pagamento à vista estará disponível.

"É provável que grandes finais já não estejam disponíveis, e os ingressos serão comprados pelo preço que sobrou, apenas para os eventos que restaram", diz Ferreti.

No Reino Unido, a expectativa inicial dos organizadores era arrecadar 500 milhões de libras (R$ 2,3 bilhões) com a venda de ingressos. A meta, no entanto, foi superada em 32%, totalizando 657 milhões de libras (R$ 3,06 bilhões).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.