iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Notícia

24/09 - 16:06

Austríaco pede desculpas por falta em brasileiro Possebon, do United

Emanuel Pogatetz disse que deu o carrinho para ganhar a dividida, mas admite que mereceu o cartão vermelho

EFE

MIDDLEBROUGH (Inglaterra) - O zagueiro austríaco Emanuel Pogatetz, do Middlesbrough, pediu desculpas pela falta violenta cometida sobre o meia brasileiro Rodrigo Possebon, do Manchester United, no jogo de ontem pela Copa da Liga Inglesa.

Pogatetz também reconheceu que mereceu levar o cartão vermelho pelo lance, que deixou indignado o escocês Alex Ferguson, técnico do United. Possebon chegou a ser levado a um hospital, mas o clube de Manchester divulgou hoje um comunicado informando que o jogador não sofreu fratura no joelho esquerdo.

"Em primeiro lugar, devo dizer que entrei de carrinho porque achava que ganharia a dividida. No entanto, concordo que houve um erro de julgamento de minha parte", disse.

"No instante após o lance, não achei que merecia ser expulso, pois havia perdido a bola. Mas tive a chance de ver a jogada na televisão e o juiz acertou ao me dar o cartão vermelho", completou, segundo o jornal "The Guardian".

Pogatetz disse que mandou uma mensagem de texto ao brasileiro e disse que tentará falar por telefone com o jogador de 19 anos.

"Vou telefonar para Rodrigo e já pedi desculpas por ter causado a lesão. Espero que ele tenha uma rápida recuperação e não fique longe dos gramados por muito bom", disse.

Apesar do arrependimento, esta não é a primeira vez que o austríaco se envolve em um caso deste tipo. Conhecido pelo apelido de "Cachorro Louco", Pogatetz já pegou um gancho de 24 semanas quando atuava pelo Spartak Moscou, da Rússia.

Em 2005, o zagueiro foi punido por quebrar a perna de um adversário. A pena, no entanto, acabou sendo reduzida para oito semanas. Pela falta em Possebon, Pogatetz deve pegar três jogos de suspensão.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


AP

ZAGUEIRO CARNICEIRO
Brasileiro, que fazia sua estréia pelo Manchester, saiu de campo chorando

Topo