iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Notícia

15/06 - 11:23

Para Felipão, dinheiro é apenas uma razão para treinar o Chelsea
O treinador de Portugal, o brasileiro Luiz Felipe Scolari, disse neste domingo que o dinheiro foi apenas um dos motivos que o levaram a aceitar o cargo de treinador do Chelsea após a Eurocopa 2008.

Reuters

BASILÉIA (Suiça) - Felipão, cuja contratação fora anunciada pelo Chelsea na quarta-feira, começou a coletiva de imprensa fazendo um comunicado a respeito de sua transferência para o futebol inglês.

'Eu gostaria de encerrar um assunto que já foi concluído por ambas as partes', afirmou. 'Tenho que trabalhar com a federação (portuguesa) até o final do torneio e eles tinham conhecimento de cada decisão tomada ao longo do processo.'

'O Gilberto Madail (presidente da federação portuguesa) procurou patrocinadores, mas quando ninguém se interessou ele me disse que estava livre para negociar meu futuro com quem eu quisesse.'

Questionado sobre se sua decisão de ir para o Chelsea tinha sido por motivos financeiros, ele respondeu: 'Sim, este é um dos motivos'.

Mas acrescentou: 'Eu tenho 59 anos e não quero trabalhar como técnico até os 70. Eu quero me aposentar em quatro ou cinco anos, então, foi uma questão financeira, mas há outras coisas.'

Entre outras razões, Scolari afirmou: 'Eu poderia oferecer ao meu filho a oportunidade de estudar em outro lugar'.

'Você só tem esse tipo de oportunidade uma vez na vida, ou você a aceita ou deixa passar, mas não foi apenas uma questão financeira.'

O jornal português A Bola informou nesta semana que Felipão ganharia 9,20 milhões de dólares por ano por um contrato de três anos com o Chelsea, que não deu nenhum detalhe a respeito do acordo.

Primeiramente, Scolari respondeu de forma monossilábica a perguntas sobre o anúncio do Chelsea e o momento em que isso foi feito, já que Portugal disputa o torneio continental.

Felipão negou que o anúncio da contratação tenha afetado o ambiente do time na Euro.

Sobre se o momento foi apropriado, ele disse: 'Sim'. Sobre se o momento escolhido para o anúncio mostrou falta de respeito com a seleção portuguesa e seus torcedores, respondeu: 'Não'.

MISSÃO CUMPRIDA

Depois, mais relaxado, Felipão acrescentou: 'O anúncio não irá afetar nosso relacionamento (no time)'.

'Minha missão terminará no final da Euro... Isso aconteceria de qualquer maneira, portanto, vamos parar de falar nesse assunto.'

'Fizemos nossas contas e decidimos que a melhor coisa para mim era o que decidimos alguns dias atrás', acrescentou, referindo-se à decisão.

Olhando para os anos com a equipe de Portugal, ele disse: 'Eu nunca havia trabalhado tanto tempo com um time anteriormente'.

'Cinco anos e meio são um recorde para mim. Até mesmo com o meu querido Grêmio foram apenas três anos.'

Felipão não concorda que a decisão de deixar a seleção possa ser vista como a causa de uma possível eliminação de Portugal antes da final do torneio.

'Se Portugal for eliminado, eu serei sempre o responsável (independentemente do motivo)', declarou.

Scolari disse que continua sendo um dos melhores amigos de Madail e dos integrantes da federação portuguesa. 'Não é porque algo novo começa que a amizade acaba'.

'Agora estou aqui, completamente envolvido de coração e alma. Nós ainda temos de passar por duas fases para chegar à final.'

'A única coisa que irá mudar depois de tudo é o país no qual irei morar', concluiu Felipão.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo