Italiano fará, com sua equipe, trajetória utilizada por navios no século 19; atual recorde mundial é de atleta francês, que fez o trajeto em 41 dias

O velejador italiano Giovanni Soldini , de 51 anos, junto com a tripulação do trimarã "Maserati Multi 70", tentará quebrar um recorde mundial e viajar de Londres a Hong Kong em 40 dias. A façanha está marcada para janeiro do ano que vem.

Leia também: Os cuidados necessários para quem deseja praticar esportes radicais

O velejador Giovanni Soldini tentará quebrar recorde mundial ao navegar de Londres a Hong Kong em 40 dias
Divulgação
O velejador Giovanni Soldini tentará quebrar recorde mundial ao navegar de Londres a Hong Kong em 40 dias

A equipe liderada pelo velejador já navegou pela "rota do ouro", que é de Nova York a São Francisco, e por outra "rota do chá", que liga os Estados Unidos à China.

O desafio de Soldini será fazer o caminho de Londres a Hong Kong em 40 dias ou menos. O atual recorde mundial é do francês Lionel Lemonchois, que fez o mesmo trajeto em 41 dias no ano de 2008.

Leia também: Prática de esportes radicais atrai praticantes que buscam superação e aventura

Siamo pronti per una nuova sfida: conquistare il record della Rotta del Tè da Hong Kong a Londra! Il record è attualmente di 41 giorni, 21 ore, 26 minuti e 34 secondi. Con me quattro esperti velisti oceanici: Sébastien Audigane (FRA), Guido Broggi (ITA), Oliver Herrera (SPA) and Alex Pella (SPA). La partenza è prevista per gennaio 2018. . 🌊🌊🌊 . We are ready for a new challenge: break the record for the Hong Kong-London Tea Route! The current record time is 41 days, 21 hours, 26 minutes and 34 seconds. With me there are going to be four expert ocean racing sailors: Sébastien Audigane (FRA), Guido Broggi (ITA), Oliver Herrera (ESP) and Alex Pella (ESP). We plan to set off in January 2018. . #MaseratiMulti70 @maserati @unipolsai @zegnaofficial

Uma publicação compartilhada por Giovanni Soldini (@giosoldini) em

A viagem de cerca de 24 mil quilômetros começará em janeiro de 2018, e Soldini comentou sobre suas expectativas nesta aventura. "Esperamos condições favoráveis no Oceano Índico, mas o Atlântico Norte, no inverno, será imprevisível e acho que será a parte mais complicada", afirmou.

Leia também: Schumacher apresenta melhoras e família espera um "milagre da medicina"

História

Essa rota costumava ser muito utilizada pelos navios do século 19 que carregavam cargas de chá do país asiático até a capital inglesa. O caminho era feito através do Cabo da Boa Esperança, localizado no extremo sul do continente africano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.