Namoro no triatlo é aprovado por atletas e gera até intimação para competir

Por Aretha Martins - enviada iG ao Pará* |

compartilhe

Tamanho do texto

Carol Furriela e Danilo Pimentel estão juntos há dois anos. Atendendo a um telefonema dela que ele foi competir no Pará no começo do mês e acabou campeão

Aretha Martins/iG
Carol Furriela e Danilo Pimentel competiram na etapa do Pará do circuito de triatlo do Sesc

Reinaldo Colucci, ouro no triatlo no Pan-Americano de Guadalajara, é casado com Mariana Ohata, que foi triatleta. Diogo Sclebin, que foi para Londres 2012 ao lado de Colucci, conheceu Patrícia no Mundial de triatlo amador no Havaí, em 2005, e os dois se casaram tempos depois. O norte-americano Tim O'Donnell, vencedor do Ironman Brasil 2013, vai trocar alianças com a também atleta Mirinda Carfrae em dezembro.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

Exemplos de casais no triatlo não faltam e novos nomes da modalidade já estão na lista. Carol Furriela, campeã brasileira sub-23, é namorada de Danilo Pimentel, de 27 anos e quarto melhor do país na elite. O casal pode até discordar quando se fala em competitividade, mas aprova a parceira dentro e fora do esporte. 

Leia também: Triatletas se preparam para corrida olímpica, e gastos anual pode chegar a R$ 150 mil

"Namoramos há dois anos. É melhor namorar alguém do mesmo esporte porque a gente fica perto, treina junto e se cansa junto", diz Carol, ressaltando a importância para o relacionamento de ter o mesmo ritmo de vida. "A gente nem sai muito. Mas um entende quando o outro está cansado. Como moro sozinha, acabamos ficando bastante tempo lá em casa", conta. 

Casal está entre os atletas que sonham com as Olimpíadas no Rio, em 2016. Veja mais nomes na galeria abaixo: 

Reinaldo Colucci foi campeão no triatlo nos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara, e representou o Brasil em Londres. Foto: Al Bello/Getty ImagesFesta de Reinaldo Colucci com a vitória nos Jogos Pan-Americanos de 2011. Com ouro, ele garantiu vaga olímpica. Colucci também competiu em Pequim 2008. Foto: Al Bello/Getty ImagesColucci (1º da esquerda) ficou apenas em 36º nos Jogos de Londres e agora vai brigar por uma vaga nas Olimpíadas de 2016. Foto: Adam Pretty/Getty ImagesDiogo Sclebin também representou o Brasil em Londres 2012 e acabou em 44º lugar. Foto: Aretha Martins/iGDas Olimpíadas de Londres Diogo Sclebin guarda na pele a lembrança. Foto: Aretha Martins/iGAgora é mais a afirmar que vai tentar a vaga para os Jogos do Rio em 2016. Foto: Aretha Martins/iGDanilo Pimentel é o 76º no ranking mundial e sonha com os Jogos. Nas Olimpíadas, há 55 vagas no triatlo. Foto: Aretha Martins/iGDanilo Pimentel é o quarto no ranking nacional do triatlo. Foto: Aretha Martins/iGPâmela Oliveira é a melhor brasileira disparada na liderança do ranking. Ela venceu o Pan de triatlo no final de junho. Foto: Rich Lam/ITU via Getty ImagesPâmela também foi para Londres e é favorita a conseguir a vaga entre as mulheres para 2016. Foto: Rich Lam/ITU via Getty ImagesFlavia Fernandes tentou a vaga para Londres 2012 e não conseguiu. Agora, tentará mais uma vez o lugar nas Olimpíadas. Foto: Wagner Araújo/Divulgação SescFlavia Fernandes é a segunda no ranking nacional e levou o bronze no Pan-Americano da modalidade no final de junho. Foto: Aretha Martins/iGAgora, Flavinha aproveita provas no Brasil para ganhar ritmo e começar a corrida olímpica em 2014. Foto: Aretha Martins/iGCarol Furriela ainda é sub-23, mas já aparece como a terceira melhor brasileira na modalidade. Foto: Aretha Martins/iGFurriela já compete na elite do triatlo brasileiro. Foto: Aretha Martins/iG


Carol e Danilo moram e treinam em Campinas, interior de São Paulo. Tanto tempo lado a lado gera um pouco de competividade. "Tem treino que fazemos juntos, quase a mesma coisa, como natação, mas na bike ou na corrida ele é mais forte", fala Carol.

Leia também: Com calor e rio mais selvagem em 7 anos, triatlo no Pará é teste de resistência

Ainda assim, ela não perde a chance de dar uma provocada no namorado. "Acho que o forte dos dois é a corrida. Ele é muito competitivo, mas estou chegando no pé dele. Tem treino que eu grudo nele". A reposta de Danilo é simples: "Com mulher eu não sou competitivo". 

Wagner Araújo/Divulgação Sesc
Danilo Pimentel comemora vitória na prova da elite masculina no triatlo no Pará

Na competição, Danilo pode levar a melhor com a força masculina. Mas ele se derrete com pedidos da namorada. Foi atendendo a um telefonema de Carol que ele decidiu competir na etapa de Pará do circuito de triatlo do Sesc, no domingo passado. E no final, Danilo, que é paraense, ainda faturou o seu primeiro título em casa

"Quando cheguei ao aeroporto, comentaram que queriam mais atletas da elite masculina. Liguei para o Danilo e pedi para ele vir", lembra Carol. "Ele aceitou e veio, mas foi complicado. Ele chegou em cima da hora, mas a bike não. Quando a bike chegou, estava quebrada. Parecia que nem era para competir e, no final, venceu", fala orgulhosa a namorada, que ficou com o segundo lugar na prova da elite feminina. 

O casal agora se prepara para um tempo distante. Carol Furriela seguirá com os treinos em Campinas e planeja disputar uma prova no Chile no mês que vem. Depois, quer competir no meio Ironman, em Brasília. Já Danilo Pimentel viaja para a Espanha, faz uma prova da Copa do Mundo e parte para dois meses de treinamento com a seleção brasileira em Portugal. 

"Ele vai para lá e eu que vou ficar sofrendo esse tempo todo por aqui", lamenta Carol. 

Veja o vídeo da prova de triatlo no Pará, vencida por Danilo Pimentel:

*repórter viajou a convite da organização do Sesc

Leia tudo sobre: triatlocarol furrieladanilo pimentelnamorados

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas