Danilo Pimentel venceu a prova em casa pela primeira vez depois de ter que consertar a sua bicicleta com ajuda da namorada. Calor também colocou atletas à prova

Com mudança na correnteza do rio, largada teve que ser feita do lado da chegada na prova no Pará
Aretha Martins/iG
Com mudança na correnteza do rio, largada teve que ser feita do lado da chegada na prova no Pará

O final de semana foi de triatlo na Ilha do Mosqueiro, a aproximadamente 70 km de Belém, no Pará. O município recebeu a terceira etapa do Sesc Triatlo Circuito Nacional. Danilo Pimentel, natural de Belém e quarto no ranking brasileiro, e a goiana Flávia Fernandes, segunda melhor do País, foram os campeões da prova na elite. E a competição na ilha paraense representa em verdadeiro teste de resistência aos atletas.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

O calor é apontado por todos como o grande vilão. Para complicar, o local é bastante úmido. Até quem competia pela quinta vez ali reclamou. "Tentei segurar a corrida para não passar mal por causa do calor. Você via os meninos completando a prova morrendo e pensava: se eles estão assim, eu vou quebrar também", afirma Carol Furriela, segunda colocada. "Depois que vi que a não dava mais para pegar a Flávia e com esse calor, aliviei na corrida", completa.

Leia também: Triatlo no Pará tem visita de boto e tática para espantar arraias

Além da temperatura na casa dos 30 graus, o triatlo no Pará tem a particularidade de ter a natação disputada em rio. A ilha do Mosqueiro é banhada pelo Rio Pará e ele é conhecido como o único rio com ondas, frequentado até por surfistas. No domingo, surpreendeu organização e competidores. "Se já tem o calor, que é adversário do começo ao fim, hoje ainda tinha a correnteza, que deixou a natação mais difícil", resumiu a campeã Flávia Fernandes.


A condição obrigou mudanças. "Essa é a sétima edição da prova aqui e pela primeira vez vi o rio tão forte assim", conta Janaina Melo, coordenadora de esportes do Sesc Pará. Cinco minutos antes da primeira largada - a etapa conta com diversas provas, de amador à elite - os bombeiros aconselharam que a organização alterasse local das boias e a direção do percurso da natação para minimizar os problemas com a correnteza.

"Nós, da elite, conseguimos nadar e passar a correnteza, mas os amadores geralmente não têm força e nadam e não saem do lugar", explica Diogo Scleibin, representante do Brasil nas Olimpíadas de Londres e que ficou em terceiro lugar na prova na Ilha do Mosqueiro.

As mudanças no rio, porém, não afetaram o campeão na prova. Danilo Pimentel nasceu em Belém e está acostumado às particularidades da praia fluvial da Ilha de Mosqueiro. Veja o depoimento do vencedor no vídeo abaixo: 


Mas o paraense também teve o seu teste de resistência. Ele resolveu competir na última hora e chegou a Belém na madrugada de sexta para sábado. "Ele não viria, mas liguei para ele do aeroporto e pedi para ele vir", afirma Carol Furriela, que além de triatleta é namorada de Danilo.

"Ele veio, mas a bicicleta dele só chegou às 16h em Belém. Ele veio para Mosqueiro e quando chegou aqui, às 20h, viu que a bicicleta tinha uma peça quebrada", narra Carol. "Achei que nem fosse largar", completa Danilo.

Casal Carol Furriela e Danilo Pimentel arrumou a bicicleta e comemorou junto na Ilha do Mosqueiro
Aretha Martins/iG
Casal Carol Furriela e Danilo Pimentel arrumou a bicicleta e comemorou junto na Ilha do Mosqueiro

O casal conta ainda que chegou a ligar para um mecânico amigo de Danilo, mas que ele não deu garantia de que chegaria a tempo de consertar a bicicleta. Os dois triatletas conseguiram improvisar e arrumar a peça quebrada. "Parece que não era para ser. O Danilo não viria, depois aceitou mas a bike não chegou. E quando chegou estava quebrada. E agora ele andou e foi campeão", resumiu Carol.

Com calor, correnteza e mudança de maré, Danilo comemorou o resultado. "Foi a primeira vez que fui campeão em casa", falou o competidor, que ficou entre os primeiros colocados do começo ao fim e completou a prova em 1h48min56s. Já no feminino, o resultado se repetiu. "Ganhei no ano passado e agora. To vendo que vou ter que voltar no ano que vem", brinca Flávia Fernandes. O jeito é se preparar para mais um teste de resistência com 1500m de natação, 45km de ciclismo e 10km de corrida, tudo isso num rio forte e sob um sol escaldante.

Veja no vídeo abaixo como foi o triatlo na Ilha do Mosqueiro: 

*repórter viajou a convite da organização

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.